Fauna protegida

Os animais silvestres que sofrerem algum acidente em função das provas olímpicas não ficarão desprotegidos: um centro de recuperação de uma importante universidade carioca já está se preparando para atender esses pacientes

Se um pássaro entra de forma inesperada na pista de uma competição de ciclismo em plena Olimpíada e Paralimpíada do Rio de Janeiro e é acidentalmente atropelado, o que vai acontecer com ele? A organização dos Jogos não descuidou dessa possibilidade e encarregou o Centro de Recuperação de Animais Silvestres (Cras) da Universidade Estácio de Sá, localizado no campus Vargem Pequena (região oeste do Rio de Janeiro), de fazer o atendimento dos animais silvestres que sejam eventual­mente feridos durante a realização das provas olímpicas. Apoiadora oficial do evento, a Estácio também é a primeira instituição de ensino a capacitar voluntários e força de trabalho para os Jogos.

Animais silvestres como esse jacaré encontrado na zona oeste do Rio que se machucarem serão tratados no Cras / Foto: divulgação
Animais silvestres como esse jacaré encontrado na zona oeste do Rio que se machucarem serão tratados no Cras / Foto: divulgação

“Algumas competições serão realizadas em áreas com vegetação densa, o que propicia a ocorrência de animais silvestres, como a Floresta da Tijuca, Deodoro e o Campo Olímpico de Golfe, na Barra da Tijuca”, observa Jeferson Pires, veterinário responsável pelos tratamentos realizados no Cras. “Em uma competição de ci­clismo, por exemplo, um pássaro pode invadir a pista e ser atropelado.”

Única instituição da capital fluminense autorizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) a cuidar de animais silvestres, o centro da Estácio recebe a cada ano cerca de 2.500 espécimes, vítimas de atropelamentos, tiros, maus-tratos, acidentes e até mesmo fenômenos climáticos.

O Cras está recebendo investimentos para ampliar a capacidade de atendimento, um benefício que não se limitará ao período olímpico – ele vai produzir um legado para professores, alunos e a comunidade em geral. A unidade Vargem Pequena da Estácio, que possui um prestigiado curso de veterinária, já atende a diversos casos a pedido da prefeitura carioca e da iniciativa privada. Por lei, todo projeto que envolve impacto ambiental deve ter garantias de assistência desse tipo, o que resulta em muitas parcerias entre empresas e o campus. M

31

 

COMPARTILHAR
blog comments powered by Disqus