Fazendeiro russo encontra ossadas de 2.500 anos nas suas terras

Três esqueletos de membros da elite dos sármatas - tribo iraniana - estavam dentro de caixões de madeira, ao lado de uma cabeça de cavalo e de diversos objetos e joias

(Crédito: Ministério da Cultura e Turismo da Região de Astrakhan)

Um fazendeiro russo acidentalmente descobriu os restos de 2.500 anos de idade de três membros de elite de uma antiga tribo nômade e um crânio de cavalo. Rustam Mudayev fez a descoberta ao se deparar com um caldeirão de bronze enquanto trabalhava nas suas terras, em uma aldeia chamada Nikolskoye, localizada a noroeste do Mar Cáspio, na Rússia. Ele relatou o achado às autoridades e uma equipe de arqueólogos liderada por Georgiy Stukalov, um arqueólogo do Museu do Estado de Astrakhan, começou a escavar o local.

Ossada de cavalo encontrada ao lado dos corpos na Rússia. (Crédito: Ministério da Cultura e Turismo da Região de Astrakhan)

Os três esqueletos pertencentes ao grupo de sármatas – tribo iraniana – estavam dentro de caixões de madeira, em um kurgan (grande monte). De acordo com declarações divulgadas pelo governo regional de Astrakhan, embora os “kurgan” tenham sido bastante saqueados nos tempos antigos, muitos artefatos como armas, joias de ouro e itens domésticos (como um caldeirão de bronze) foram descobertos perto dos caixões.

As ossadas encontradas datas de uma época em que os sármatas floresceram na região. Este grupo nômade prosperou no sul da Rússia, antes de se mudar para a Europa oriental e central, enquanto lutava contra outros povos antigos, como os citas, romanos e godos.

As escavações e a análise dos restos ainda estão em andamento. O objetivo é determinar como os indivíduos morreram, seu sexo e idade. Os vestígios arqueológicos estão sendo levados para o Museu do Estado de Astracã.

blog comments powered by Disqus