Fernando de Noronha dá novo passo para se consolidar como plástico zero

Criação de Centro de Engajamento busca estimular reflexões de moradores e turistas sobre uso do plástico e de outros resíduos

Fernando de Noronha: aplicando-se para se tornar livre de plástico. Crédito: Fabricio Ferreira Silva/Wikipedia

Em uma iniciativa inédita no Brasil, a ilha de Fernando de Noronha passou a proibir, desde abril deste ano, a entrada, o uso e a comercialização de itens descartáveis plásticos, como garrafas de bebidas abaixo de 500 mililitros, canudos, copos, talheres e sacolas de supermercado, além de isopor e demais objetos compostos por materiais como polietilenos, polipropilenos ou similares. Agora, um novo desdobramento da iniciativa vem para propor uma experiência diferente de turismo ambiental para os mais de 100 mil visitantes que o lugar recebe anualmente. O projeto Noronha Plástico Zero, desenvolvido pela Administração da ilha de Fernando de Noronha em parceria com a plataforma de educação ambiental Menos 1 Lixo, o laboratório de pesquisa e desenvolvimento de soluções de inovação tecnológica Iönica e o Grupo Heineken no Brasil, inaugurou nesta terça-feira (12 de novembro) seu Centro de Engajamento, espaço dedicado à realização de atividades de conscientização para turistas e moradores da ilha.

Criado para fazer de Noronha a primeira ilha plástico zero do Brasil, o projeto Noronha Plástico Zero foi concretizado após a assinatura do decreto que proibiu a entrada de plásticos descartáveis de uso único na região.

A iniciativa é um convite não só à reflexão, mas também à ação da sociedade, considerando, principalmente, quatro dos sete Rs da sustentabilidade: repensar, regenerar, reutilizar e ressignificar.

Centro de Engajamento

O espaço, que representa o repensar do manifesto, concentra atividades que visam oferecer aos visitantes uma verdadeira experiência imersiva sobre a história e a trajetória do plástico. Com eventos, rodas de conversa, oficinas e intervenções artísticas e culturais, o Centro de Engajamento tem como principal objetivo estimular reflexões em torno do plástico e outros resíduos, passando por questões como meio ambiente, descarte consciente e sustentabilidade.

“O Centro de Engajamento foi idealizado para trazer os moradores e turistas para dentro do projeto, tornando-os agentes dessa mudança de comportamento e multiplicadores dessa mensagem. Nosso objetivo é que a comunidade possa aproveitar esse espaço e fazê-lo perdurar”, comenta Guilherme Rocha, administrador de Fernando de Noronha.

Agentes locais de transformação

Para garantir o engajamento da população, o Noronha Plástico Zero também contempla entre suas iniciativas a formação de agentes de transformação, grupo formado pelos próprios moradores da ilha que ficarão responsáveis pelos cursos e atividades de conscientização dentro e fora do Centro de Engajamento. Representando o regenerar do manifesto do projeto, os agentes farão a comunicação direta com a população, para transmitir e multiplicar os ensinamentos sobre o consumo consciente, apoiando os eventos e atividades que acontecem no espaço, além de mapear as necessidades locais e atender aos interesses da comunidade.

“Os agentes têm como importante papel a humanização do projeto. Sem eles, o elo entre o Centro de Engajamento e a comunidade não seria possível. Por isso, acreditamos que a presença deles é o que garantirá que todo o conhecimento produzido e compartilhado seja absorvido pela comunidade e perpetuado dentro e fora da ilha”, comenta Wagner Andrade, diretor de inovação do Menos 1 Lixo, empresa correalizadora do projeto.

Kit Noronha Plástico Zero

Para auxiliar a população a reutilizar e, consequentemente, eliminar o plástico descartável como resíduo no dia a dia, o projeto está entregando aos moradores e turistas da ilha o Kit Noronha Plástico Zero, composto por copo, canudo e bolsa reutilizáveis.

Caminho do Vidro

Para fechar o ciclo sobre a conscientização em relação ao descarte de resíduos, o projeto contempla também um olhar para o vidro, tendo em vista a importância e o impacto de ressignificar o uso desse material. Após passar por um processo de melhoria em sua infraestrutura, o Caminho do Vidro transforma o que seria lixo em areia para a construção civil, com a moagem e destinação correta do material.

Toda essa iniciativa vem ao encontro do movimento “Mais com Menos”, do Grupo Heineken no Brasil, iniciativa em busca de mais ação e menos discurso, mais diálogo e menos intolerância, mais celebração com equilíbrio, e tudo isso com menos impactos negativos, tendo como norte a regeneração. Por meio de pequenas e de grandes iniciativas, é importante gerar a reflexão e a mudança de comportamento positivo que impactem vidas e o futuro das próximas gerações.

“O Noronha Plástico Zero é mais um exemplo que materializa a nossa visão de transformação, que se dá por meio de projetos mais colaborativos e cocriados com diferentes atores da sociedade, neste caso em específico, o primeiro setor, negócios de impacto e sociedade civil. Com um espaço físico para sensibilizar e engajar a população local e turistas da ilha, usaremos o conhecimento como principal ferramenta para estimular as mudanças positivas de comportamento que o projeto visa alcançar”, comenta Ornella Vilardo, Gerente sênior de Sustentabilidade do Grupo Heineken no Brasil. “Para nós, demonstrar de forma prática um modelo replicável de educação com ação, que contribui para a preservação da ilha, reforça o nosso compromisso de crescer junto com as comunidades nas quais estamos inseridos”, ressalta a executiva.

Para conferir o manifesto completo Noronha Plástico Zero e acompanhar as novidades e andamento do projeto, os interessados podem acessar o site www.noronhaplasticozero.com.br  ou seguir pelo Instagram www.instagram.com/noronhaplasticozerooficial.