Filas e tempo curto irritam turistas que vão ao Louvre ver a Mona Lisa

Reforma da sala do Louvre onde o quadro fica normalmente levou o museu a fazer mudanças desfavoráveis aos visitantes

Conseguir chegar perto da Mona Lisa tem sido uma dificuldade nos últimos tempos

A Mona Lisa, mais famosa pintura de Leonardo da Vinci, foi mudada de lugar no Museu do Louvre, em Paris, e isso tem deixado muitos visitantes irritados, informa o jornal “The Guardian”. O motivo são as filas gigantescas para chegar até o quadro e o tempo escasso para ficar diante dele.

Por causa de uma reforma, a tela de 77 centímetros por 53 centímetros foi levada de seu lugar tradicional, na Salle des États, para a Galerie Médicis, ocupada por pinturas de Rubens. Numa tentativa de controlar os cerca de 30 mil visitantes por dia que rumam diretamente para a Mona Lisa, o Louvre alerta que o desfrute visual está garantido somente para quem fizer pré-reserva.

Segundo os visitantes, o resultado é que se enfrentam filas gigantescas para chegar ao quadro e, diante dele, a pessoa pode passar apenas um minuto. Logo em seguida, equipes do museu já fazem com que ela se afaste e dê lugar a outros.

Um dos visitantes escreveu no site TripAdvisor: “Apenas pule isso. 99% dos turistas vêm ao Louvre para a Mona Lisa. Para vê-la (por 30 segundos), você tem que ficar na fila por 1-2 horas. Não é uma fila única, é uma fila para a segurança, uma fila para entrar no museu, uma fila para chegar a cada uma das 3 escadas até o 3º andar e depois uma grande fila para ver a Mona Lisa, a partir de 3 Meyers [sic] de distância.”

“Tudo estava perfeito, exceto a visita à Mona Lisa”, reclamou Xavier no TripAdvisor. Vários andares de filas, mas chegando à galeria estávamos francamente chocados. A equipe tratou os visitantes como gado… Resultado: estresse para ver a pintura atrás do vidro de vários metros. Escandaloso!”

 

Acesso restrito

Museu mais visitado do mundo, o Louvre recebe 10,2 milhões de pessoas por ano. Estima-se que cerca de 80% desses visitantes vão até lá apenas para ver a Mona Lisa. Em julho, o caos causado pelas filas levou os responsáveis a restringirem o acesso ao sala onde a tela está por três dias.

O vice-diretor-gerente do Louvre, Vincent Pomarède, disse à agência de notícias France Presse que, a partir do outono, todos os visitantes terão de reservar uma vaga para sua visita. “É a única maneira de garantir a entrada”, sublinhou.

A Mona Lisa voltará à Salle des États em outubro. Nesse mês será inaugurada no Louvre uma grande exposição para homenagear os 500 anos da morte de Da Vinci.

COMPARTILHAR
blog comments powered by Disqus