Fotógrafo capta crianças do mundo com seus brinquedos preferidos

No livro “Toy Stories: fotos de crianças ao redor do mundo e suas coisas favoritas”, o italiano Gabriele Galimberti mostra que, muitas vezes, é preciso pouco para fazer uma criança feliz

Chiwa, de 4 anos, de Mchinji, no Malaui (África), um dos fotografados de Galimberti para o livro. Crédito: Gabriele Galimberti

Numa jornada em 2012 e 2013 que envolveu visitas a mais de 50 países, das Américas à Oceania, o fotógrafo italiano Gabriele Galimberti registrou crianças com seus bens mais preciosos (muitas vezes no singular): seus brinquedos. O trabalho rendeu um livro tocante, Toy Stories: fotos de crianças ao redor do mundo e suas coisas favoritas. Como observa em artigo a respeito do livro o site Bored Panda, “quer a criança tenha uma verdadeira frota de carros em miniatura ou apenas um único macaco de pelúcia, o orgulho que elas têm é comovente, engraçado e instigante”.

Rivaldo Fesna, 5 anos, de Porto-Príncipe, Haiti. Crédito: Gabriele Galimberti

“Comecei este projeto quase por acaso”, disse Galimberti (mais informações: gabrielegalimberti.com | Instagram  | Facebook) ao Bored Panda. “A primeira foto que tirei para esta série foi na Toscana, é aquela com a menina e as vacas ao fundo (a foto com Alessia, reproduzida mais abaixo). Ela é filha de um dos meus melhores amigos. Ele me pediu para fotografá-la, então fui até a casa deles e ela estava brincando com as vacas. Achei muito legal aquela situação e resolvi tirar uma foto daquele momento. Pedi que ela posasse junto com os brinquedos dela e com as vacas ao fundo. Aí adorei o resultado e alguns meses depois, quando tive a possibilidade de começar minha viagem ao redor do mundo, resolvi tirar o mesmo tipo de foto em todos os países que iria visitar.”

Tangawizi, 3 anos, de Keekorok, Quênia. Crédito: Gabriele Galimberti

LEIA TAMBÉM: Arqueólogos encontram rato de brinquedo de couro com 1.900 anos

Páginas semanais

Durante o período em que fez as fotos, Galimberti trabalhava para uma das maiores revistas italianas, “D La Repubblica”. Ele preparava uma reportagem para a revista sobre o CouchSurfing e, com isso, visitou 58 países usando essa plataforma da internet. Toda semana ele tinha uma página na revista para relatar sua viagem e publicava um retrato do couchsurfer que o hospedava na época.

Maudy, 3 anos, de Kalulushi, Zâmbia. Crédito: Gabriele Galimberti

“Todas as crianças que fotografei estão de alguma forma conectadas aos couchsurfers que me acolheram. Eles são seus filhos, seus sobrinhos ou simplesmente seus vizinhos”, disse o fotógrafo ao site.

Arafa e Aisha, 4 anos, de Bububu, em Zanzibar (Tanzânia). Crédito:Gabriele Galimberti
Conquista da confiança

Antes de fazer as fotos, Galimberti dedicou um tempo para ganhar a confiança de seus fotografados, e isso deve ter ajudado bastante, porque as crianças parecem confortáveis e relaxadas nas fotos. “Fiquei realmente surpreso ao ver como foi fácil para as crianças entenderem meu projeto!”, afirmou o fotógrafo ao Bored Panda. Ele gastava de algumas horas a um dia inteiro para conhecer as crianças antes de pegar sua câmera.

Zi Yi, 3 anos, de Chongquing, China. Crédito: Gabriele Galimberti

Algumas das fotos selecionadas por Galimberti estão reproduzidas aqui. O Bored Panda observa que há diferenças bem perceptíveis nas fotos – “mas o que todas elas têm em comum, segundo Galimberti, é que as crianças adoram brincar”.

Porjai, 3, de Bangkok, Tailândia. Crédito:Gabriele Galimberti
Virginia, 5 anos, de American Fork, Utah, EUA. Crédito: Gabriele Galimberti
Alessia, 5 anos, de Castiglion Fiorentino, Itália. Crédito: Gabriele Galimberti
Ernesto, 3 anos, de Florença, Itália. Crédito: Gabriele Galimberti
Taha, 4 anos, de Beirute, Líbano. Crédito: Gabriele Galimberti
Lauren, 6 anos, de Muskoka, Canadá. Crédito: Gabriele Galimberti
Naya, 3 anos, de Manágua, Nicarágua. Crédito: Gabriele Galimberti
Talia, 5 anos, de Timimoun, Argélia. Crédito: Gabriele Galimberti
Allenah, 4 anos, de El Nido, Filipinas. Crédito: Gabriele Galimberti
Julia, 3, de Tirana, Albânia. Crédito: Gabriele Galimberti

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança