Fotógrafo indiano vence prêmio de Foto do Ano do Unicef

Imagem de menina de 11 anos que teve seu vilarejo destruído por um ciclone no delta do rio Ganges revela a ameaça às crianças imposta pela degradação ambiental e pelas mudanças climáticas, afirma entidade

A foto do ano escolhida pelo Unicef em 2021 foi um registro feito no delta do rio Ganges, na Índia, após a devastação causada a passagem de um ciclone tropical em agosto de 2021, que gerou uma forte enchente na região de Bengala Ocidental

A imagem registrada pelo fotógrafo indiano Supratim Bhattacharjee mostra a menina Pallavi, de 11 anos, com uma expressão de desolação.

Ela tinha uma pequena loja de chá na casa de seus país na ilha de Namkhana, que mantinha para ajudar no sustento de sua família. Seu pai, um caminhoneiro, tem renda mensal de menos de 650 reais por mês.

Bhattacharjee, um repórter fotográfico que lida com questões ambientais e de direitos humanos, disse que encontrou a menina vagando desesperançada pelos destroços, um dia depois da passagem do ciclone.

No vilarejo de Fraserganj, completamente destruído, pessoas tentavam salvar o que podiam dos escombros. Pallavi era uma delas. A tempestade destruiu sua casa de madeira e barro e levou embora o telhado de zinco.

Sua casa foi completamente destruída, mas, segundo o fotógrafo, a menina de 11 anos encarou a destruição e tentava se manter calma. “Sua personalidade forte, em oposição à destruição causada pela água do mar, fez com que eu a fotografasse”, disse Bhattacharjee.

Para as pessoas da região da floresta de Sundarbans, na região costeira da Índia e Bangladesh, é cada vez mais comum que vilarejos inteiros sejam arrastados pelas águas, com o desaparecimento gradual das ilhas.

Clima ameaça sobrevivência

A maior parte dos moradores da região vive da pesca e da coleta de camarões, mas a destruição das áreas de mangue, juntamente com a elevação do nível da água do mar e a salinização das áreas de água doce, gera ameaças à sobrevivência.

Os eventos climáticos extremos causados pelo aquecimento global se tornam cada vez mais frequentes nessa parte do globo. O Unicef calcula que em torno de 530 milhões de crianças vivam em regiões afetadas por enchentes da Ásia e na África.

Elke Büdenbender, patrona do Unicef e esposa do presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, disse durante a apresentação das fotos vencedoras de 2021, que ninguém consegue ficar indiferente às imagens. “A fotografia mostra de uma só vez o fardo que pesa sobre as crianças nesse mundo: pobreza, degradação ambiental e mudanças climáticas”, observou.

O prêmio de segundo lugar foi para o também indiano Sourav Das, cujo registro fotográfico mostra como um professor de escola primária transformou parte de um vilarejo em uma escola a céu aberto durante o lockdown imposto em razão da pandemia de covid-19.

O terceiro lugar ficou com o fotógrafo iraquiano Younes Mohammad por sua série que retrata crianças curdas cujos pais ficaram feridos enquanto combatiam os terroristas do “Estado Islâmico” (EI).

O concurso para a Fotografia do Ano do Unicef premia os registros das condições de vida de crianças em todo o mundo. Neste ano, 86 fotógrafos de 26 países enviaram em torno de 1,3 mil imagens.

rc (EPD)

Veja também
+ Jovem grava momento em que mulher morre sem saber que se tratava de sua mãe
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago