Furacão Dorian enfraquece um pouco ao se aproximar dos EUA

Ciclone começou a acelerar seu movimento rumo à costa da Flórida, depois de causar destruição e mortes nas Bahamas

O Dorian em imagem do satélite Copernicus Sentinel, da ESA, obtida em 2 de setembro: devastação nas Bahamas e aproximação ao litoral leste da Flórida. Foto: Copernicus Sentinel/ESA

O furacão Dorian enfraqueceu ligeiramente enquanto ruma no sentido noroeste, em direção à costa dos Estados Unidos. Nos últimos dias, o ciclone, com a categoria 5 (a mais elevada), ficou praticamente estacionado sobre as Bahamas. Partes do norte desse país insular viveram o que seu primeiro-ministro chamou ontem de “tragédia histórica”. Até agora, o Dorian causou ali pelo menos 5 mortes e ferimentos em 21 pessoas, levadas para hospitais.

Nos EUA, um alerta de tempestade foi estendido para o norte da Flórida até a metade da costa da Carolina do Sul. A maior parte do litoral da Carolina do Sul também está sob aviso de furacão.

Na tarde desta terça-feira, o ciclone começou a se mover um pouco mais rapidamente, a 8 km/h. Segundo o Centro Nacional de Furacões dos EUA, a velocidade máxima dos ventos baixou para 177 km/h.

LEIA TAMBÉM: O furacão Dorian visto da Estação Espacial Internacional

A previsão é que o Dorian se aproxime “perigosamente” do litoral leste da Flórida entre a noite de hoje e amanhã. Entre a noite de quarta-feira e quinta-feira, o ciclone deverá se mover “muito perto” das costas da Geórgia e da Carolina do Sul. Ele poderá se mover “perto ou sobre” a costa da Carolina do Norte na noite de quinta-feira.

Em um condado costeiro da Carolina do Norte, as autoridades declararam estado de emergência na terça-feira à tarde e emitiram a evacuação obrigatória das comunidades de Carolla e Carova, no litoral, para a manhã de quarta-feira.

Dois dias antes, os governadores da Carolina do Sul e da Geórgia ordenaram que pelo menos 1 milhão de pessoas deixassem suas residências no litoral a partir da segunda-feira. As autoridades da Flórida também ordenaram evacuações obrigatórias em algumas áreas costeiras vulneráveis.