• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Featured04/08/2022

Geração instantânea de energia eólica bate recorde no Brasil

Torres eólicas no Rio Grande do Norte: região Nordeste é destaque absoluto na geração desse tipo de energia no Brasil. Crédito: Miguel Ângelo/CNI

04/08/22 - 08h51min

Dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) mostram que o Brasil bateu mais um recorde na geração instantânea de energia eólica. O feito aconteceu no último dia 8 de julho, quando a fonte foi responsável por entregar 14.167 MW, o suficiente para atender a toda a região Nordeste, durante um minuto, e ainda restar um excedente de mais de 23% do total da energia produzida.

O resultado evidencia a expansão da geração eólica no Brasil nos últimos anos. Hoje, a capacidade instalada é de aproximadamente 22 mil MW em 828 parques eólicos em operação. O Nordeste é destaque, concentrando mais de 90% desse total (20 mil MW em 725 parques eólicos). A capacidade de geração pode aumentar ainda com a geração eólica offshore.

Caminho acidentado

No entanto, o caminho das eólicas offshore é acidentado. No Valor, Robson Rodrigues informou que, dos 55 processos de licenciamento ambiental para geração eólica offshore em análise hoje pelo Ibama, apenas dois apresentaram estudo de impacto ambiental e relatório de impacto ambiental (EIA/Rima) – e em ambos os casos os relatórios foram rejeitados por estarem em desacordo com os termos de referência.

Além dessas dificuldades, o setor ainda tenta entender plenamente os efeitos do decreto 10.964, que definiu as regras gerais para geração eólica em alto-mar. “Os agentes identificaram áreas potenciais e entraram com o processo no Ibama para garantir lugar na fila. Porém, não existe claramente uma regra de como vai ser essa cessão de uso [de área marítima]”, disse Elbia Gannoum, presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica).

Em entrevista ao Diálogo Chino, Gannoum destacou o potencial da geração eólica no Brasil e os avanços recentes no setor. Ao mesmo tempo, ela também abordou pontos críticos que emergem no debate público sobre os impactos socioambientais da geração eólica. “Pelo fato de a indústria estar crescendo muito rápido, a gente percebe as externalidades, tanto positivas na geração de emprego e desenvolvimento econômico, quanto também os impactos negativos”, disse. A executiva também reforçou que o setor tem consciência e está discutindo soluções para problemas como distância entre geradores e áreas residenciais, sombreamento e outros impactos sobre a população local.

Saiba mais

+ CPF do remetente deverá constar nas encomendas enviadas pelos Correios
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Astrônomos chegam a consenso sobre a idade do universo
+ Fã ‘faz diagnóstico’ de hérnia em Rafa Kalimann, que confirma
+ Corpo de responsável por câmeras de clube onde petista foi assassinado é encontrado no Paraná
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Veja objetos, símbolos e amuletos que atraem riqueza
+ Anitta conta o que a levou a fazer tatuagem no ânus
+ Ancestral humano desconhecido deixou pegadas estranhas na África


ABEEólica