Glossário da era digital

Você sabe exatamente o que é algoritmo? E fake news? A seguir, uma lista com as definições de termos básicos na época das comunicações via internet e redes sociais

À medida que as mídias sociais invadiram nosso cotidiano, novos termos e conceitos se infiltraram no nosso vocabulário. Aqui está uma definição sucinta de algumas dessas expressões.

Algoritmo

A palavra é uma combinação da palavra latina algorismus, referente a Al Khwarizmi (matemático persa do século 9 que introduziu o sistema decimal no mundo ocidental) com a palavra grega arithmos, que significa número. No mundo digital de hoje, um algoritmo é uma sequência de ins­truções, executada automaticamente por um computador. Algoritmos são agora sinônimo de inteligência artificial em oposição à inteligência humana, e estão sendo usados em todos os campos – de consultas em mecanismos de busca a mercados financeiros e seleção de informações recomendadas pelo usuário.

 

Fake news (notícias falsas)

Informações falsas e manipuladas com a intenção de prejudicar. De acordo com Les Décodeurs (seção de verificação de fatos do jornal francês Le Monde), a notícia falsa “utiliza os códigos e formas da imprensa tradicional para se disfarçar como prática jornalística”.

 

Fato alternativo

Termo que denota uma inverdade grosseira ou uma mentira. A expressão foi usada pela primeira vez em janeiro de 2017 por Kellyanne Conway, conselheira do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ao abordar a controvérsia sobre o número exato de pessoas que participaram da cerimônia de posse dele em Washington.

 

Filtro bolha

Esse conceito foi definido pelo ativista americano Eli Pariser, diretor executivo da Upworthy (site para conteúdo viral “significativo”) e cofundador da Avaaz.org (rede para mobilização social global através da internet). Segundo ele, os algoritmos das redes sociais filtram informações – ao analisarem as “curtidas” e os “compartilhamentos” dos usuários – e fornecem conteúdo personalizado correspondente a essas preferências. Isso eventualmente confina os usuários a uma “bolha” de opiniões sociais e políticas.

 

Hoax (farsa)

Mensagem enganosa transmitida via e-mail e pela internet. Ela pode vir na forma de boatos, notícias alarmistas ou falsas premissas para solicitar doações. As motivações que existem por trás de um hoax podem ser políticas ou financeiras (a remuneração geralmente é baseada no número de cliques gerados). O termo é menos utilizado nos dias de hoje e foi amplamente substituído por fake news (notícias falsas).

 

Pós-verdade

Declarada Palavra do Ano de 2016 pelos Dicionários Oxford (publicados pela Oxford University Press, da Inglaterra), essa expressão é definida como “relacionada a ou denotando circunstâncias em que os fatos objetivos são menos influentes na formação da opinião pública do que apelos à emoção e à crença pessoal”. Utilizado pela primeira vez na década de 1990, o termo foi popularizado pelas campanhas eleitorais do Brexit (a saída do Reino Unido da União Europeia, definida em referendo) e para a presidência americana. A pós-verdade descreve uma retórica política que não está mais preocupada com os fatos e demonstra a perda de confiança do público nas mídias e instituições tradicionais.

 

Viés de confirmação (também conhecido como tendência de confirmação ou viés confirmatório)

A tendência de favorecer informações que reforçam nossas crenças, ignorando ou subestimando as crenças que as contradizem.

 

Viralização

Circulação rápida da informação – verdadeira ou falsa – por meio da internet e de redes sociais. A viralização da informação depende de recomendações baseadas no usuário. Essa é a versão online do boca a boca, em uma escala infinitamente mais ampla.

COMPARTILHAR
blog comments powered by Disqus