Halo brilhante cerca a Lua vista no Atacama

Fenômeno, também conhecido como “anel da Lua”, é indiscutivelmente bonito, mas prejudica as observações astronômicas

"Anel da Lua" visto sobre observatório do ESO: belíssimo de se ver, mas desvantajoso para os astrônomos. Crédito: ESO/Y. Beletsky (LCO)

Um belo halo lunar – conhecido por halo de 22° – aparece no céu por cima do Observatório de La Silla do Observatório Europeu do Sul (ESO), no deserto do Atacama. Esse fenômeno óptico resulta da interação do luar com milhões de cristais de gelo suspensos na atmosfera. Ela dá origem a um anel em torno da Lua com um raio aparente de aproximadamente 22°.

Essa estrutura é também conhecida por “anel da Lua” ou “halo de inverno”.

Embora muito bonito, esse fenômeno óptico cria condições que não são ideais para a astronomia observacional. As nuvens e o luar brilhante associados a ele afetam a qualidade e a precisão das observações.

Esse fato não diminui, contudo, a beleza dessa vista etérea. Podem-se até ver algumas estrelas. Destaca-se aí Sírius, a estrela mais brilhante do céu noturno, no topo da imagem, logo à esquerda do centro.

Saiba mais
+ Carolina Dieckmann pede R$ 9 milhões por mansão no Rio
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua