Homem de Marree, o geoglifo restaurado da Austrália

O redesenho da obra de 3,5 quilômetros de comprimento que retrata um homem com um graveto ou bumerangue, feito em 2016, vai lhe dar uma durabilidade maior que o trabalho original

Homem de Marree: geoglifo revitalizado. Crédito: Imagem do Nasa Earth Observatory de Lauren Dauphin, usando dados do Landsat do USGS

Desde que um piloto notou o  (também conhecido como Gigante de Stuart) pela primeira vez, em 1998, esse misterioso trabalho de arte em terra atraiu a atenção internacional, como lembra o site Earth Observatory, da Nasa. Gravada em um platô no estado da Austrália Meridional, a obra retrata um caçador com o que parece ser um graveto ou bumerangue na mão.

Abrangendo 3,5 quilômetros de comprimento, o Homem de Marree é um geoglifo – um desenho feito de materiais de terra tão grande que, para fazer sentido, deve ser visto de cima. Exemplos mais conhecidos de geoglifos são as Linhas de Nazca, no Peru.

Por muitos anos, o Homem de Marree (Marree é uma cidade 60 quilômetros a oeste da obra) foi uma característica proeminente nas imagens da região feitas pelo satélite Landsat, da Nasa e do US Geological Survey, mas as linhas desapareceram ao longo dos anos. Em 2013, eles eram pouco visíveis nas imagens em cores naturais adquiridas pelo Operational Land Imager (OLI) no Landsat 8.

LEIA TAMBÉM: Pesquisadores descobrem novos desenhos no solo em Nazca

Restauração

Em agosto de 2016, os empresários locais, preocupados com a perda do que havia se tornado um atrativo turístico, decidiram restaurar o geoglifo. Usando coordenadas de GPS precisas do original, eles redesenharam o Homem de Marree com uma motoniveladora por um período de cinco dias.

A equipe de restauração acredita que o geoglifo atualizado durará mais do que o original porque criou sulcos de vento, projetados para capturar a água e incentivar o crescimento da vegetação. Com o tempo, eles esperam que a vegetação torne as linhas verdes. O OLI adquiriu esta imagem do recurso em 22 de junho de 2019.

Quem criou o geoglifo e por qual motivo são há muito tempo tópicos de controvérsia. Até hoje as respostas permanecem desconhecidas, apesar do recente anúncio de uma recompensa em dinheiro por informações confiáveis ​​sobre a obra. Há indicações de que um artista que vive em Alice Springs (cidade no centro da Austrália) pode ter criado o Homem de Marree, embora outras pistas sugiram que o criador possa ter sido americano.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança