Honda abandonará Fórmula 1 por neutralidade em carbono

Com a decisão, recursos corporativos da empresa serão canalizados para pesquisa e desenvolvimento de células de combustível e de motores elétricos

Carro da escuderia Red Bull, equipado com motor Honda: fabricante japonesa anunciou que deixará a Fórmula 1 no fim da temporada de 2021. Crédito: Artes Max/Wikimedia

A montadora japonesa Honda deixará de fornecer motores para a Fórmula 1 em consonância com seu objetivo de ser neutra em carbono até 2050. A decisão, que foi recebida com choque por comentaristas e fãs, deve colocar a categoria mais prestigiada do automobilismo mundial na parede por conta do impacto dos motores à combustão sobre o clima global.

Atualmente, a Honda fornece equipamentos para as equipes Red Bull e AlphaTauri, que seguirão sendo atendidas até o final da temporada de 2021. De acordo com a companhia, a decisão permitirá canalizar recursos corporativos para pesquisa e desenvolvimento de células de combustível e de motores elétricos.

LEIA TAMBÉM: Carros elétricos e híbridos devem ficar mais acessíveis aos brasileiros

Associated Press e “The Guardian” deram mais detalhes sobre a decisão.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança