Hubble analisa uma bela galáxia espiral e seu misterioso buraco negro

Praticamente todas as galáxias espirais, como a NGC 1022, têm um buraco negro em seu centro, que influencia bastante seu lar cósmico

A galáxia espiral barrada NGC 1022: faixas de poeira que rodopiam por todo o disco garantem sua beleza. Crédito: ESA/Hubble & Nasa, A. Seth

A galáxia em destaque na fotografia acima, lindamente listrada com ramos de poeira avermelhada, é capturada aqui em belos detalhes pelo Telescópio Espacial Hubble, da Nasa e da Agência Espacial Europeia (ESA).

Trata-se da NGC 1022, oficialmente classificada como uma galáxia espiral barrada, situada na constelação de Cetus. A barra de estrelas pode ser vista no centro da galáxia na imagem, com braços em movimento emergindo de suas extremidades. Essa barra é muito menos proeminente do que em alguns dos primos barrados da galáxia e lhe dá uma aparência bastante achatada; mas as faixas de poeira que rodopiam por todo o disco garantem que não seja menos bonito.

O Hubble registrou esta imagem como parte de um estudo sobre um dos habitantes mais notórios do universo: os buracos negros. Estes são componentes fundamentais das galáxias, e acredita-se que espreitem os corações de muitas – se não todas – galáxias espirais. De fato, eles podem ter uma influência bastante grande sobre seus lares cósmicos.

LEIA TAMBÉM: A galáxia espiral que parece reta

Estudos sugerem que a massa do buraco negro localizado no centro de uma galáxia está ligada às propriedades de maior escala da própria galáxia. No entanto, para aprender mais, precisamos de dados observacionais de uma gama mais ampla e diversificada de galáxias – algo que o estudo de Hubble pretende fornecer.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança