• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Astronomia20/04/2022

Hubble celebra 32 anos mostrando um grupo especial de galáxias

O Hubble está comemorando seu 32º aniversário com uma visão impressionante de uma coleção incomum de cinco galáxias, chamada Hickson Compact Group 40. Crédito: Nasa, ESA e STScI

20/04/22 - 07h33min

O Telescópio Espacial Hubble, da Nasa/ESA, está comemorando seu 32º aniversário com uma visão impressionante de uma coleção incomum de cinco galáxias, chamada Hickson Compact Group 40.

Essa coleção inclui três galáxias em forma de espiral, uma galáxia elíptica e uma galáxia lenticular (semelhante a uma lente). De alguma forma, essas diferentes galáxias se cruzaram para criar um mostruário de galáxias excepcionalmente lotado e eclético.

Preso em uma vagarosa dança gravitacional, todo o grupo está tão adensado que poderia caber dentro de uma região do espaço com menos de duas vezes o diâmetro do disco estelar da Via Láctea.

Embora tais agrupamentos de galáxias possam ser encontrados no coração de enormes aglomerados de galáxias, as galáxias da imagem são notavelmente isoladas em seu próprio pequeno pedaço do Universo, na direção da constelação de Hidra.

Vídeo de 32º aniversário do Hubble. Crédito: ESA/Hubble, ESA, NASA, STScI

Momento especial

Uma possibilidade é que haja muita matéria escura (uma forma de matéria pouco compreendida e invisível) associada a essas galáxias. Se elas se aproximarem, a matéria escura pode formar uma grande nuvem dentro da qual as galáxias orbitam. À medida que as galáxias atravessam a matéria escura, elas sentem uma força de atrito que resulta de seus efeitos gravitacionais. Isso diminui seu movimento e faz com que as galáxias percam energia, então elas caem juntas. Portanto, este instantâneo captura as galáxias em um momento muito especial em suas vidas. Em cerca de 1 bilhão de anos, eles deverão colidir e se fundirão para formar uma única galáxia elíptica gigante.

Os astrônomos estudaram este grupo compacto de galáxias não apenas em luz visível, mas em rádio, infravermelho e em comprimentos de onda de raios X. Quase todas as galáxias têm uma fonte de rádio compacta em seu núcleo, o que pode ser uma evidência da presença de um buraco negro supermassivo. Observações de raios X mostram que as galáxias estão interagindo gravitacionalmente, como testemunhado pela presença de muito gás quente entre elas. Observações infravermelhas revelam pistas sobre a taxa de formação de novas estrelas.

Vídeo apresenta o Hickson Compact Group 40. Crédito: Nasa, ESA e STScI

Alimento para buracos negros

Embora mais de 100 desses grupos compactos de galáxias tenham sido catalogados em pesquisas do céu que remontam a várias décadas, o Hickson Compact Group 40 é um dos mais densamente compactados. Observações sugerem que esses grupos compactos podem ter sido mais abundantes no início do universo e forneceram combustível para alimentar buracos negros, conhecidos como quasares, cuja luz de material superaquecido brilhou pelo espaço. Estudar os detalhes das galáxias em grupos próximos como esse ajuda os astrônomos a descobrir quando e onde as galáxias se reuniram e o que as junta.

Saiba mais
+ Carolina Dieckmann pede R$ 9 milhões por mansão no Rio
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua

agrupamento