Hubble flagra dois asteroides em foto de galáxia distante

Dois pequenos intrusos aparecem cruzando os céus na fotografia do telescópio espacial que mostra uma galáxia a cerca de 15 milhões de anos-luz

Trilhas dos dois asteroides (no canto inferior direito): intrusos na foto da galáxia anã. Crédito: ESA/Hubble & Nasa; J. Cannon (Macalester College)

À primeira vista, a imagem reproduzida acima, obtida pelo Telescópio Espacial Hubble, da Nasa/ESA, retrata as estrelas cintilantes da AGC111977, uma galáxia anã localizada a cerca de 15 milhões de anos-luz de distância e visível na parte inferior esquerda da imagem. Outras galáxias aparecem espalhadas pela foto, junto com estrelas em primeiro plano de nossa galáxia, a Via Láctea.

Após uma inspeção mais detalhada, porém, outra coisa aparece, bem mais perto da Terra. Na parte inferior direita do quadro, duas faixas alongadas são fracamente visíveis: as trilhas de asteroides – pequenos corpos rochosos em nosso Sistema Solar – cruzando seus caminhos no primeiro plano das estrelas e galáxias que o Hubble estava observando.

A imagem combina observações captadas em 16 de novembro de 2012 com o instrumento ACS do Hubble, usando dois filtros diferentes (606 nanômetros, em azul, e 814 nanômetros, em vermelho). À medida que os asteroides se moviam em relação ao Hubble durante a observação, as duas trilhas foram gravadas posteriormente em cada filtro e, portanto, aparecem parte em vermelho, parte em azul.

LEIA TAMBÉM: Asteroides de origem interestelar habitam o Sistema Solar

Os dois asteroides estão localizados a distâncias diferentes de nós; portanto, eles não colidiram de fato, como poderiam sugerir as faixas que se cruzam. Eles foram descobertos pelos cientistas cidadãos Sovan Acharya, Graeme Aitken, Claude Cornen, Abe Hoekstra e Edmund Perozzi, alguns dos voluntários que inspecionaram imagens do icônico telescópio espacial em busca de intrusos rochosos como parte do projeto de ciência do cidadão Hubble Asteroid Hunter.

Caça a asteroides

Lançado há um ano, no Dia Internacional do Asteroide (comemorado em 30 de junho) de 2019, o Hubble Asteroid Hunter é uma colaboração entre a ESA e o portal de ciência cidadã Zooniverse, convidando membros do público a identificar asteroides observados acidentalmente pelo Telescópio Espacial Hubble. Desde então, 9 mil voluntários de todo o mundo forneceram 2 milhões de classificações de 140 mil imagens compostas do Hubble, encontrando 1.500 trilhas de asteroides – cerca de uma centena de imagens.

O projeto sofreu um aumento na participação nos últimos meses, pois muitas pessoas em todo o mundo estavam em casa devido à pandemia de covid-19. Isso levou a um aumento de três vezes no número de classificações. Graças aos esforços contínuos dos voluntários, esse projeto de ciência cidadã está quase chegando ao fim, com apenas as imagens infravermelhas para explorar.

Enquanto isso, a equipe está trabalhando para identificar os asteroides que foram descobertos como parte do projeto – incluindo os dois mostrados nesta imagem – para combiná-los com asteroides conhecidos no banco de dados do Minor Planet Center e calcular suas distâncias em relação à Terra.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança