Hubble mostra detalhes de “montanha” que forma estrelas

Composta sobretudo por gás e poeira, a Montanha Mística, na Nebulosa Carina, contém evidências de uma intensa atividade de formação estelar

A Montanha Mística na Nebulosa Carina: região formadora de estrelas. Crédito: Nasa/ESA/M. Livio e equipe de 20 anos do Hubble (STScI)

Dentro da enorme e tempestuosa Nebulosa Carina (ou Eta Carinae, também conhecida como NGC 3372), a 7.500 anos-luz da Terra, fica a “Montanha Mística” (Mystic Mountain, em inglês). Esse escarpado pilar cósmico de três anos-luz de altura, aqui fotografado pela Wide Field Camera 3 do Telescópio Espacial Hubble em 2010, é composto principalmente de poeira e gás, e exibe sinais de intensa atividade de formação de estrelas.

As cores nesta imagem composta correspondem ao brilho do oxigênio (azul), hidrogênio e nitrogênio (verde) e enxofre (vermelho).

Uma radiação abrasadora e ventos velozes (correntes de partículas carregadas) de estrelas quentes recém-nascidas na nebulosa estão moldando e comprimindo a montanha, fazendo com que novas estrelas se formem dentro dela. Véus finos de poeira, iluminados pela luz das estrelas, flutuam em torno de seus picos.

LEIA TAMBÉM: Estrelas estão nascendo das profundezas de buraco negro

O pilar está resistindo a ser corroído pela radiação, tal como os imponentes morros no Monument Valley, em Utah, paisagem clássica dos faroestes do cinema, suporta a erosão pela água e pelo vento.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança