Hubble mostra flocos de neve estelares

Os astrônomos ainda não têm ideia do número de estrelas existentes no aglomerado globular NGC 6441, mas calculam que a soma de suas massas atinja 1,6 milhão de vezes a massa do Sol

Aglomerado globular NGC 6441: quatro pulsares e a nebulosa planetária JaFu 2 em seu interior. Crédito: ESA/Hubble & Nasa, G. Piotto

Quase como flocos de neve, as estrelas do aglomerado globular NGC 6441 brilham pacificamente no céu noturno, a cerca de 13 mil anos-luz do centro da Via Láctea, neste registro do Telescópio Espacial Hubble, da Nasa/ESA.

Como no caso dos flocos de neve, é difícil discernir o número exato de estrelas nesse aglomerado. Estima-se que, juntas, as estrelas pesem 1,6 milhão de vezes a massa do Sol. Isso torna o NGC 6441 um dos aglomerados globulares mais maciços e luminosos da Via Láctea.

Aglomerado globular é um tipo de aglomerado estelar com formato aparente esférico e cujo interior é muito denso e rico em estrelas antigas – ele pode, inclusive, ter até um milhão de estrelas, mantidas juntas pela ação da gravidade.

LEIA TAMBÉM: Hubble investiga galáxia gigantesca na nossa região do universo

O NGC 6441 possui quatro pulsares, cada um completando uma única rotação em alguns milissegundos. Também oculta dentro desse aglomerado está a JaFu 2, uma nebulosa planetária. Apesar desse nome, as nebulosas planetárias têm pouco a ver com planetas. Uma fase na evolução das estrelas de massa intermediária, as nebulosas planetárias duram apenas algumas dezenas de milhares de anos, um piscar de olhos nas escalas de tempo astronômicas.

Existem cerca de 150 aglomerados globulares conhecidos na Via Láctea. Eles contêm algumas das primeiras estrelas a serem produzidas em uma galáxia, mas os detalhes de suas origens e evolução ainda desafiam os astrônomos.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança