• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Astronomia14/03/2022

Hubble mostra um espetacular ‘olho’ de galáxia

Galáxia NGC 1097: imagem magnífica do Hubble é resultado do trabalho somado de duas de suas câmeras. Crédito: ESA/Hubble & Nasa, D. Sand, K. Sheth

14/03/22 - 08h08min

A imagem finamente detalhada reproduzida acima mostra o coração da NGC 1097, uma galáxia espiral barrada que fica a cerca de 48 milhões de anos-luz da Terra, na constelação de Fornax (a Fornalha). A imagem revela a complexidade da teia de estrelas e poeira no centro da NGC 1097, com os longos tentáculos de poeira destacados em um tom vermelho escuro. A extensão em que a estrutura da galáxia é revelada é graças a dois instrumentos no Telescópio Espacial Hubble, da Nasa/ESA: a Wide Field Camera 3 (WFC3) e a Advanced Camera for Surveys (ACS).

A ideia de que uma única imagem pode ser tirada usando duas câmeras diferentes não é muito intuitiva. No entanto, faz muito mais sentido depois de se revelar como belas imagens astronômicas como esta são compostas.

Um ponto de partida útil é considerar o que é exatamente a cor. Nossos olhos podem detectar ondas de luz em comprimentos de onda ópticos entre aproximadamente 380 e 750 nanômetros, usando três tipos de receptores, cada um dos quais é sensível a apenas uma fatia desse intervalo. Nosso cérebro interpreta esses comprimentos de onda específicos como cores. Por outro lado, uma câmera de telescópio como a WFC3 ou ACS é sensível a uma única e ampla faixa de comprimentos de onda para maximizar a quantidade de luz coletada. As imagens brutas dos telescópios estão sempre em escala de cinza, mostrando apenas a quantidade de luz capturada em todos esses comprimentos de onda.

Imagens coloridas de telescópios são indiretamente possíveis, no entanto, com a ajuda de filtros. Ao se deslizar um filtro sobre a abertura de um instrumento como a WFC3 ou a ACS, apenas a luz de uma faixa de comprimento de onda muito específica pode passar – um desses filtros usados ​​nesta imagem é para luz verde em torno de 555 nanômetros. Isso produz uma imagem em escala de cinza mostrando apenas a quantidade de luz com esse comprimento de onda. Esta imagem multicolorida da NGC 1097 é composta por imagens usando sete filtros diferentes no total.

Saiba mais
+ Carolina Dieckmann pede R$ 9 milhões por mansão no Rio
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua

ACS