• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Astronomia01/11/2021

Hubble mostra uma bela galáxia depois da superexplosão

Galáxia NGC 6984: um evento de supernova dupla ocorreu ali recentemente. Crédito: ESA/Hubble e Nasa, D. Milisavljevic

01/11/21 - 10h11min

Esta imagem do telescópio espacial Hubble, da Nasa/ESA, apresenta a galáxia NGC 6984, uma elegante galáxia espiral na constelação de Indus, a cerca de 200 milhões de anos-luz da Terra. A galáxia é uma visão familiar para o Hubble, já tendo sido flagrada em 2013. Os extensos braços espirais são entrelaçados com um delicado rendilhado de linhas escuras de gás e poeira, e cravejados de estrelas brilhantes e regiões de formação de estrelas luminosas.

Essas novas observações foram feitas após um evento astronômico extremamente raro – uma supernova dupla na NGC 6984. As supernovas são explosões inimaginavelmente violentas em uma escala verdadeiramente vasta, precipitadas pela morte de estrelas massivas. Esses eventos são poderosos, mas raros e passageiros – uma única supernova pode ofuscar sua galáxia hospedeira por um breve período.

A descoberta de duas supernovas virtualmente ao mesmo tempo e localização (em termos astronômicos) levou à especulação de astrônomos de que as duas supernovas podem de alguma forma estar fisicamente ligadas. Usando observações ópticas e ultravioleta da Wide Field Camera 3 do Hubble, os astrônomos procuraram ter uma visão melhor do local das duas supernovas, na esperança de que isso permitisse a eles descobrir se as duas explosões de supernovas estavam de fato ligadas. Suas conclusões podem dar aos astrônomos pistas importantes sobre a vida das estrelas binárias.

Além de ajudarem a desvendar um mistério astronômico, essas novas observações adicionaram mais dados às observações de 2013 e permitiram que essa nova imagem marcante fosse criada. As observações – cada uma das quais cobre apenas uma faixa estreita de comprimentos de onda – adicionam novos detalhes e uma gama maior de cores à imagem.

Saiba mais

+ CPF do remetente deverá constar nas encomendas enviadas pelos Correios
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Astrônomos chegam a consenso sobre a idade do universo
+ Fã ‘faz diagnóstico’ de hérnia em Rafa Kalimann, que confirma
+ Corpo de responsável por câmeras de clube onde petista foi assassinado é encontrado no Paraná
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Veja objetos, símbolos e amuletos que atraem riqueza
+ Anitta conta o que a levou a fazer tatuagem no ânus
+ Ancestral humano desconhecido deixou pegadas estranhas na África


binária