Hubble mostra uma galáxia brilhante e incomum

Resultado de uma fusão galáctica, a NGC 1614 é a segunda galáxia mais luminosa dos céus em 250 milhões de anos-luz

Galáxia NGC 1614: passado turbulento. Crédito: ESA/Hubble & Nasa, A. Adamo

A galáxia NGC 1614, capturada aqui pelo telescópio espacial Hubble, da Nasa/ESA, é uma ativa galáxia brilhante de forma excêntrica. Ela está a cerca de 200 milhões de anos-luz da Terra, na constelação austral de Eridanus (O Rio).

A NGC 1614 é a consequência de uma fusão galáctica passada que criou sua aparência peculiar. A colisão cósmica também levou a um fluxo turbulento de gás interestelar da menor das duas galáxias envolvidas para o núcleo da maior. O resultado foi uma explosão de formação de estrelas que começou no núcleo e lentamente se espalhou pela galáxia.

Devido ao seu passado turbulento e sua aparência atual, os astrônomos classificam a NGC 1614 como uma galáxia peculiar, uma galáxia starburst (que atravessa um processo intenso e contínuo de formação estelar) e uma galáxia infravermelha luminosa.

LEIA TAMBÉM: Hubble analisa a borda da galáxia do Sombreiro e seu misterioso passado

As galáxias infravermelhas luminosas estão entre os objetos mais luminosos do universo local. A NGC 1614 é, de fato, a segunda galáxia mais luminosa em 250 milhões de anos-luz.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago