Hubble mostra uma galáxia deslumbrante (e muito útil para a ciência)

A galáxia espiral NGC 4603 foi observada minuciosamente pelo telescópio espacial em busca de variáveis Cefeidas, estrelas fundamentais para se concluir que o universo está em expansão

NGC 4603: galáxia importante no estudo da expansão do universo. Crédito: ESA/Hubble e Nasa, J. Maund

Esta imagem do telescópio espacial Hubble, da Nasa/ESA, mostra um retrato em close da magnífica galáxia espiral NGC 4603. Ela está situada a mais de 100 milhões de anos-luz de distância, na constelação de Centaurus (o Centauro). Faixas brilhantes de estrelas azuis jovens constituem os braços dessa galáxia, que se estendem preguiçosamente a partir do núcleo luminoso.

Os intrincados filamentos marrom-avermelhados passando pelos braços espirais são conhecidos como faixas de poeira. Eles consistem em densas nuvens de poeira que obscurecem a luz difusa das estrelas da galáxia.

Essa galáxia é um assunto familiar para o Hubble. Nos últimos anos do século 20, a NGC 4063 foi atentamente observada em busca de sinais de uma classe peculiar de estrelas conhecida como variáveis ​​Cefeidas. Essas estrelas têm uma luminosidade intimamente ligada ao período em que escurecem e brilham, permitindo aos astrônomos medir com precisão a que distância estão da Terra.

Medidas de variáveis ​​Cefeidas são fundamentais para mensurar as maiores distâncias do universo. Elas foram um dos fatores usados ​​por Georges Lemaître e Edwin Hubble para mostrar que o universo está se expandindo.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança