Humanos se adaptaram bem às mudanças climáticas há 40 mil anos

Caverna em ilha indonésia demonstra a adaptabilidade de seus ocupantes durante as alterações no nível do mar causadas pela última Era do Gelo

Ilha de Alor: ponto de passagem dos humanos na migração para a Austrália. Crédito: Shimona Kealy

Há dezenas de milhares de anos, as pessoas que se aventuraram na jornada do Sudeste da Ásia para a Austrália demonstraram uma rápida adaptação às mudanças climáticas, mostram novas pesquisas. Conchas, ossos de peixes e anzóis encontrados na ilha indonésia de Alor mostram como as pessoas viviam e se adaptavam ao meio ambiente há mais de 40 mil anos.

Pesquisadores da Universidade Nacional Australiana (ANU) lideraram a equipe que escavou a caverna de Makpan, na costa sudoeste de Alor. Suas descobertas também confirmam a posição de Alor como um “trampolim” entre as ilhas (maiores) de Flores e Timor. O estudo a esse respeito foi publicado na revista “Quaternary Science Reviews”.

De acordo com a drª Shimona Kealy, da ANU, a análise dos artefatos encontrados em Makpan mostra como seus primeiros residentes eram criativos e adaptativos.

LEIA TAMBÉM: Na era do gelo, caçadores ficaram no norte da Europa em vez de migrar

“Isso fornece mais informações sobre os primeiros movimentos humanos modernos entre as ilhas. Mostra também como as pessoas respondiam a desafios como a mudança climática”, disse Kealy. “Assim que as pessoas começaram a se mudar para as ilhas, elas o fizeram muito rapidamente e se adaptaram rapidamente às suas novas casas nessas ilhas.”

Escavações na caverna de Makpan. Crédito: Shimona Kealy
Extremos climáticos

Makpan foi testemunha de uma série de substanciais subidas e descidas do nível do mar durante seus 43 mil anos de ocupação humana, em grande parte devido aos extremos climáticos da última Era do Gelo.

“Quando as pessoas chegaram pela primeira vez a Makpan, elas vinham em número baixo”, disse Kealy. “Naquela época, a caverna ficava perto da costa – como é hoje – e essa comunidade primitiva vivia de uma dieta de crustáceos, cracas e ouriços-do-mar. Principalmente os ouriços-do-mar, comidos em grande número.”

Pouco depois de sua chegada inicial, o nível do mar começou a cair. Isso aumentou a distância do local de Makpan até a costa e provavelmente incentivou as pessoas a ampliar sua dieta para incluir uma variedade de frutas e vegetais de origem terrestre.

Quando a última Era do Gelo começou a ceder, há cerca de 14 mil anos, Makpan estava mais uma vez a 1 km da costa.

Tecnologias de pesca de conchas e corais (à esquerda) e ornamentação (à direita) encontradas em Makpan. Crédito: ANU

A professora Sue O’Connor, também da ANU e coautora do artigo, diz que, há cerca de 12 mil anos, as pessoas de Alor estavam saboreando uma “mistura de frutos do mar”. “Não é nenhuma surpresa que o local veja evidências significativas de pesca nesse momento, não apenas os ossos de uma grande variedade de espécies de peixes e tubarões, mas também na forma de anzóis de marisco em diferentes formas e tamanhos”, disse ela.

Makpan foi abandonada há cerca de 7 mil anos, antes da fase final de ocupação da ilha, há cerca de 3.500 anos. “Não sabemos por que Makpan foi abandonado nesta época”, disse Kealy. “Talvez o aumento final do nível do mar tenha tornado outras áreas ao redor da ilha de Alor locais de assentamento mais atraentes.”

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança