Imagens censuradas dos campos de concentração nos EUA

Logo após o ataque à base norte-americana de Pearl Habour (no Havaí) pelos japoneses, em 1941, o governo dos EUA decidiu entrar na Segunda Guerra Mundial contra esse país dentro e fora de casa. Internamente, foi decretada a “evacuação” de nipo-americanos para campos de concentração.

Em 19 de fevereiro de 1942, o presidente Franklin D. Roosevelt assinou a Ordem Executiva que forçou aproximadamente 120 mil pessoas de ascendência japonesa, muitas das quais nascidas nos EUA, a abandonar suas casas, empresas, fazendas e propriedades. Eles foram carregados em ônibus para os chamados “Centro de Autoridade de Relocação de Guerra” ou “centro de relocação”.

A fotógrafa Dorothea Lange foi contratada pelo Estado para documentar a evacuação e as instalações do Centro de Relocação Manzanar, em Manzanar, na Califórnia. Cientes de que pessoalmente Dorothea era contra os campos de concentração, as fotografias foram tiradas dela e passaram décadas censuradas, longe do conhecimento do público. Hoje, finalmente, temos a oportunidade de olhar para este momento histórico e pouco divulgado.

Embora bem mais estruturados que os – extremamente cruéis – campos de concentração alemães, esses locais representaram cárcere forçado para esses milhares de pessoas. Os nipo-americanos não foram separados de seus familiares, mas tiveram que deixar suas vidas para trás, fazer trabalho forçado, viver privações de todo tipo lá dentro, além de serem mortos, caso tentassem fugir. Também tiveram que lidar com o preconceito de raça antes durante e depois dessa fase, que durou de 1942 a 1948.

Veja aqui 22 dessas imagens com suas legendas originais.

São Francisco, Califórnia. Residentes de ascendência japonesa comparecem para registro antes da evacuação. Os evacuados serão alojados nos centros de Autoridade de Relocação de Guerra durante o conflito (Crédito: Dorothea Lange)
San Francisco, Califórnia. Cena de rua no quarteirão japonês no dia que precede a evacuação ao centro de relocação. Seus pertences domésticos serão armazenados (Crédito: Dorothea Lange)

 

São Francisco, Califórnia. Dois amigos jogam a partida final enquanto aguardam a evacuação. Evacuados de ascendência japonesa estão sendo alojados nos centros de Autoridade de Relocação de Guerra durante o conflito (Crédito: Dorothea Lange)

 

Hayward, Califórnia. Membros da família Mochida aguardando o ônibus de evacuação. As etiquetas de identificação são usadas para ajudar a manter a unidade familiar intacta durante todas as fases de evacuação. Mochida operava uma creche e cinco estufas em uma área de dois acres em Eden Township. Ele cultivou plantas e ervilhas. Evacuados de ascendência japonesa serão abrigados em centros de Autoridades de Relocação de Guerra durante o conflito (Crédito: Dorothea Lange)

 

Centro de Relocação Manzanar, Manzanar, Califórnia. Um pequeno evacuado de ascendência japonesa corta o cabelo (Crédito: Dorothea Lange)
Centro de Relocação Manzanar,, Manzanar, Califórnia. Uma escola primária para interessados foi estabelecida com professores voluntários, a maioria dos quais formados em faculdades. Nenhum equipamento escolar está ainda disponível e mesas e bancos disponíveis são usados (Crédito: Dorothea Lange)
Centro de Relocação Manzanar,, Manzanar, Califórnia. Uma escola primária para interessados foi estabelecida com professores voluntários, a maioria dos quais formados em faculdades. Nenhum equipamento escolar está ainda disponível. No entanto, as aulas são frequentemente realizadas à sombra do edifício do quartel (Crédito: Dorothea Lange)
Centro de Relocação Manzanar,, Manzanar, Califórnia. O Doutor Takahashi, especialista em olho, orelha, nariz e garganta, recebe paciente muito jovem na clínica médica neste centro de Autoridade de Relocação de Guerra para evacuados de ascendência japonesa (Crédito: Dorothea Lange)
Centro de Relocação Manzanar, Manzanar, Califórnia. A ala das mulheres no hospital provisório das casernas neste Centro de Autoridade de Relocação de Guerra para evacuados de ascendência japonesa. O novo hospital com acomodações para 250 camas está quase pronto para ocupação (Crédito: Dorothea Lange)

 

Centro de Relocação Manzanar, Manzanar, Califórnia. Manzanar Free Press, o jornal local do centro de Autoridade de Relocação de Guerra, é publicado duas vezes por semana e é entregue gratuitamente aos evacuados (Crédito: Dorothea Lange)
Centro de Relocação Manzanar, Manzanar, Califórnia. Evacuados apreciam jogos sob a sombra de árvores perto do riacho que flui através do deserto na fronteira deste centro de Autoridade de Relocação de Guerra (Crédito: Dorothea Lange)
Centro de Relocação Manzanar, Manzanar, Califórnia. Evacuados apreciam o riacho que flui ao longo da fronteira externa deste centro de Autoridade de Relocação de Guerra (Crédito: Dorothea Lange)
Centro de Relocação Manzanar, Manzanar, Califórnia. Evacuados assistindo a um jogo de beisebol neste centro de autoridade de relocação de guerra. Esta é uma recreação muito popular, com 80 equipes formadas em todo o Centro. A maioria dos jogos acontece entre os quarteirões do quartel no espaço de aceiro (Crédito: Dorothea Lange)
Centro de Relocação Manzanar, Manzanar, Califórnia. Comida servida em um dos refeitórios neste centro de Autoridade de Relocação de Guerra para evacuados de ascendência japonesa (Crédito: Dorothea Lange)
Centro de Relocação Manzanar, Manzanar, Califórnia. Fazendo redes de camuflagem para o Departamento de Guerra. Este é um dos vários projetos do Departamento de Guerra e Marinha, realizado por pessoas de ascendência japonesa em centros de relocação (Crédito: Dorothea Lange)

 

Centro de Relocação Manzanar, Manzanar, Califórnia. Vista do centro de relocação de Manzanar mostrando os edifícios (à direita) onde as redes de camuflagem são feitas (Crédito: Dorothea Lange)
Centro de Relocação Manzanar, Manzanar, Califórnia. Fazendo redes de camuflagem para o Departamento de Guerra. Este é um dos vários projetos do Departamento de Guerra e Marinha, realizado por pessoas de ascendência japonesa em centros de relocação (Crédito: Dorothea Lange)
Centro de Relocação Manzanar, Manzanar, Califórnia. Johnny Fukazawa, vítima de ascendência japonesa neste centro de autoridade de relocação de guerra, cultiva milho no projeto da fazenda (Crédito: Dorothea Lange)

 

 

blog comments powered by Disqus