Imagens em infravermelho mostram segredos de lua de Saturno

Técnica desenvolvida será usada para conhecer melhor outros satélites gelados de Júpiter e de Saturno

Encélado em infravermelho: conhecimento aprofundado sobre esse satélite de Saturno. Crédito: © Nasa/JPL-Caltech/Universidade do Arizona/LPG/CNRS/Universidade de Nantes/Space Science Institute

Um mosaico infravermelho global de Encélado, criado a partir de um conjunto de dados completo da espaçonave Cassini, revelou novos detalhes na superfície dessa lua de Saturno.

A Cassini orbitou Saturno e suas luas de 2004 a 2017. A missão terminou quando a sonda foi intencionalmente mergulhada na atmosfera do planeta, mas novas descobertas ainda estão sendo feitas com os dados.

Durante a missão, a Cassini sobrevoou Encélado 147 vezes, e houve 23 encontros próximos. O Espectrômetro de Mapeamento Visual e Infravermelho (VIMS) coletou dados que podem ser usados ​​para revelar informações sobre a temperatura e composição da superfície, bem como os tamanhos e a cristalinidade dos grãos de gelo.

LEIA TAMBÉM: Pesquisadores analisam o (complexo) interior de lua de Saturno

Um estudo publicado na revista “Icarus” produziu um mosaico espectral global usando o conjunto de dados completo do VIMS. A imagem acima mostra cinco visualizações infravermelhas de Encélado centradas no lado da frente, no lado voltado para Saturno e no lado de trás na linha superior; e os polos norte e sul na linha inferior. (Clique aqui para uma versão com anotações. O satélite também pode ser explorado interativamente.)

Novos detalhes

Os cientistas usaram uma correção fotométrica para revelar novos detalhes na superfície da lua. Encélado tem uma superfície composta quase de puro gelo de água, o que o torna altamente reflexivo. Mas o brilho observado depende das propriedades do material da superfície, do formato da superfície e do ângulo em que é visto. A correção dessas variações foi necessária para mostrar as diferenças na composição e estado físico na superfície.

Ao usarem essas correções fotométricas aprimoradas, os cientistas puderam revelar variações espectrais que correspondem às diferentes cores nas imagens. Elas são particularmente notáveis ​​na região com quatro grandes falhas tectônicas conhecidas como Tiger Stripes (Listras de Tigre) no polo sul. A imagem do polo sul também revela uma fronteira nítida entre os terrenos onde a cor vermelha clara encontra a região azul. A cor vermelha suave vista na primeira imagem provavelmente se deve ao gelo de água doce recentemente exposto. Essa pode ser a assinatura superficial de pontos críticos no fundo do mar.

No futuro, os cientistas planejam aplicar sua técnica a outras luas geladas para compará-las com Encélado. O mapeamento infravermelho semelhante pelas missões Juice e Europa Clipper poderá detectar atividades recentes em duas luas de Júpiter, Europa e Ganimedes.

A missão Cassini é um projeto cooperativo entre a Nasa, a ESA e a agência espacial italiana ASI.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança