Impacto profundo

Nas últimas décadas, 60% dos recifes de coral do mundo estão ameaçados por atividades locais, 50% do estoque de peixes em grandes ecossistemas marinhos (GEMs) são sobre-explorados e as águas de 64 dos 66 GEMs do mundo estão aquecidas. Esses alarmantes números de avaliações sobre o estado do alto-mar do mundo e dos GEMs foram apresentados em julho pela Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI) da Unesco.

As avaliações identificaram os crescentes impactos das mudanças climáticas e das atividades humanas nos ecossistemas oceânicos e seu impacto nos oceanos através de ou além das fronteiras nacionais. Isso está resultando em deterioração da saúde e declínio da produtividade dos recursos, sobretudo devido à pesca insustentável e à poluição. A falta de engajamento nacional e governança global integrada das águas transfronteiriças ameaça ampliar esses impactos.

As informações foram divulgadas na sede da Organização dos Estados Americanos, em Washington (EUA), no âmbito do Programa de Avaliação das Águas Transfronteiriças (Twap, na sigla em inglês), financiado pelo Fundo Mundial para o Ambiente. O Twap fez avaliações globais de sistemas de água transfronteiriços do mundo a fim de dar suporte aos decisores nacionais e organizações internacionais na definição de prioridades para intervenções políticas e no desenvolvimento de um quadro para futuras avaliações periódicas.

As conclusões apresentam projeções para uma escalada desastrosa até 2030 e 2050 dos impactos cumulativos de riscos locais e globais, desde o turismo às mudanças climáticas nos ecossistemas marinhos. Mas elas também identificam os importantes benefícios potenciais da governança integrada em nível global e regional para abordar essas questões, e devem ajudar a fortalecer a capacidade dos países para conservar e usar os oceanos, mares e seus recursos sustentavelmente.

O mar aberto e os GEMs têm suma importância para a economia global pelos serviços que prestam ao bem-estar humano e ao desenvolvimento socioeconômico. Manter a saúde e a produtividade desses sistemas deve ajudar os países a atingir os objetivos globais de reduzir a pobreza e a fome e promover o crescimento econômico sustentável.

13_pl524_unesco212_PL513_UNESCO3

COMPARTILHAR