Taxa de suicídio nos EUA cresce depois de “13 Reasons Why”

O mês de abril de 2017, período subsequente à exibição da série, teve a maior taxa de suicídio durante um período de estudo de cinco anos entre jovens de 10 a 17 anos de idade

Pesquisadores associaram a exibição da série
Pesquisadores associaram a exibição da série "13 Reasons Why" a um aumento nas taxas de suicídio entre adolescentes nos EUA / Foto: Divulgação

Um estudo recente feito nos Estados Unidos revelou que aproximadamente 195 mortes a mais do que o esperado por suicídio entre adolescentes foram associadas à série de televisão “13 Reasons Why” nos nove meses imediatamente após o lançamento do programa.

O estudo, liderado pelo Hospital Infantil Nationwide, demonstrou que após a estreie da série, em 31 de março de 2017, o mês de abril de 2017 teve a maior taxa de suicídio durante um período de estudo de cinco anos entre jovens de 10 a 17 anos de idade. No entanto, não houve associação significativa entre a exibição da série e o suicídio em indivíduos com 18 anos ou mais.

“Os jovens podem ser particularmente suscetíveis ao “contágio suicida”, que pode ser estimulado por histórias que sensacionalizam ou promovem explicações simplistas do comportamento suicida, glorificam ou romantizam o falecido, apresentam o suicídio como um meio de atingir um objetivo ou oferecem potenciais prescrições de como morrer por suicídio”, disse Jeff Bridge, diretor do Centro de Prevenção e Pesquisa Suicida na Nationwide Children’s e professor de Pediatria, Psiquiatria e Saúde Comportamental da Faculdade de Medicina da Universidade Estadual de Ohio, e autor principal da publicação.

Para Bridge, retratos de suicídio em meios de entretenimento devem evitar detalhes gráficos da morte – o que a série não fez – e devem aderir às diretrizes de melhores práticas para reduzir o risco de suicídio subseqüente.

Os autores do estudo analisaram as taxas mensais de suicídio nos EUA entre 1 de janeiro de 2013 e 31 de dezembro de 2017 – o período de tempo antes e após o lançamento da série. Os pesquisadores examinaram os efeitos imediatos e as tendências subsequentes e ajustaram os possíveis efeitos da sazonalidade e outras tendências nas taxas de suicídio.

Após o lançamento de “13 Reasons Why”, especialistas levantaram preocupações sobre a série e, um mês depois, a Netflix reforçou os avisos de conteúdo gráfico e acrescentou um aviso sobre a série que começou a aparecer antes do episódio inicial. Eles também divulgaram um site que continha recursos e informações de referência.

“É possível retratar o suicídio de forma a cultivar a esperança, aumentando a conscientização sobre os suportes disponíveis para aqueles que lutam com pensamentos ou comportamentos suicidas”, disse John Ackerman , co-autor do estudo e coordenador de prevenção do suicídio do CSPR.

Ackerman escreveu um blog para os pais sobre a série. “No entanto, este estudo demonstra que os pais devem ser cautelosos sobre a exposição dos jovens a esta série. Com uma terceira temporada da série prevista para o ar em breve, a vigilância contínua é necessária para monitorar possíveis consequências sobre as taxas de suicídio em associação com a exibição da série.”, disse o pesquisador.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago


COMPARTILHAR