Invasão de javalis causa prejuízo em Santa Catarina

Animais não nativos estão destruindo plantações de milho de pequenas propriedades no estado

Javalis infestam Santa Catarina e destroem plantações de milho. Foto: Reprodução G1
Javalis infestam Santa Catarina e destroem plantações de milho. Foto: Reprodução G1

Reportagem do site G1 mostrou que uma invasão de javalis está causando prejuízos para agricultores e ameaçando a suinocultura em Santa Catarina. Estima-se que existam cerca de 200 mil javalis no estado. Isso representa 1 a 2 javalis por quilômetro quadrado em 49 municípios afetados.

Atualmente, o javali é o único animal cuja caça é permitida no país. A autorização existe desde 2013. Em março deste ano, uma nova portaria do Ibama regulamentou o uso de cães para o manejo da espécie e informatizou o sistema de autorizações para caçadores.

Segundo a União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês), o javali é uma das 100 espécies invasoras mais perigosas para a biodiversidade.

Em Santa Catarina, o principal problema é que, no estado, pequenas lavouras de milho são muito comuns, e um bando de javalis pode destruir toda a propriedade em poucos dias. Segundo Carlos Henrique Salvador, biólogo e consultor do Plano Javali, do Ibama, essa destruição se torna um problema social muito grave para os pequenos produtores, que são muito dependentes do pouco que têm.

Além disso, Santa Catarina é o líder da produção de suínos no país, com mais de 1/4 da produção nacional, segundo dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Como o javali e o porco doméstico são da mesma espécie, uma eventual epidemia que atinja os javalis poderia também afetar os suínos de criação.

Uma das cidades mais afetadas no estado é Capão Alto, de 2500 habitantes, que fica  próxima da divisa com o Rio Grande do Sul. A prefeitura calcula que de 30% a 40% da produção de milho deste ano esteja comprometida.

Preocupados com os ataques, produtores de Capão Alto estão substituindo a cultura de milho pela de soja, que é menos visada pelos suínos. Mas isso impossibilita que os agricultores pratiquem a rotação de cultura e substituam a soja por milho para recuperar o terreno quando necessário.

Segundo Cláudio Ramos, produtor rural de Capão Alto, muita gente está deixando suas propriedades e indo para a cidade porque não tem mais como sobreviver do cultivo.

Segundo a reportagem do G1, a invasão de javalis teve início nos anos 2000, quando empresários da região Sul decidiram apostar na criação do animal para fins comerciais. A carne do animal era considerada exótica e, portanto, atrativa, para o paladar brasileiro. Com o tempo, o animal foi escapando das criações, se dispersando na natureza e até se reproduzindo junto com o porco doméstico, dando origem à variedade “javaporco”.