Itália: de epicentro da covid-19 às duras regras para vencer o vírus

O país europeu mais atingido pela pandemia em seu início mostra alguns dos caminhos do “novo normal” que sucederá o auge da covid-19

Pessoas passeiam em Pavia com máscaras: item está sendo usado mesmo em locais em que ele não é obrigatório. Crédito: Stefano Annovazzi Lodi/Flickr

Os casos de covid-19 estão aumentando em todo o mundo, mas o curso da pandemia varia amplamente de país para país. Para fornecer a você uma visão global à medida que nos aproximamos de um ano e meio desde a declaração oficial da pandemia, os editores do site The Conversation ao redor do mundo encomendaram artigos que analisam países específicos e onde eles estão agora no combate à pandemia.

Aqui, Sara Belligoni, uma estudiosa de políticas públicas que escreveu para nós sobre a onda devastadora de casos na Itália no início de 2020 e que visitou Roma no verão deste ano, relata sobre as regras cada vez mais rigorosas do país para encorajar a vacinação e trazer a vida diária para mais perto dos tempos pré-pandêmicos. Você pode ver toda a série de artigos em TheConversation.com.

A Itália foi o primeiro país democrático ocidental a enfrentar a crise da covid-19. No início de 2020, enquanto partes do país estavam sendo sobrecarregadas com casos de coronavírus, alguns meios de comunicação argumentaram que o governo italiano havia demorado muito para impor medidas restritivas para combater a disseminação do vírus.

Mas a Itália aprendeu várias lições desde seu primeiro bloqueio nacional em 9 de março de 2020, e agora – um ano e meio depois da primeira onda esmagadora de casos de covid-19 – o país implementou medidas que, em alguns casos, são mais rigorosas do que em outros países, incluindo os Estados Unidos.

Com esses novos protocolos em vigor – notadamente, um certificado de saúde para mostrar o status de vacinação para certas atividades –, a vida diária está se movendo em direção ao que muitas pessoas chamam de um novo normal. Apesar de alguma oposição, os italianos apoiam essas medidas, mesmo quando vêm com algum desconforto ou medidas extras.

Passaporte de vacina

A partir de 6 de agosto de 2021, o governo exige que os indivíduos apresentem o “Green Pass” – extensão italiana do Certificado Covid Digital da União Europeia – para participar de grandes eventos, jantar em ambientes fechados, acessar academias e muito mais. O Green Pass é essencialmente um “passaporte de vacina”: um documento, digital ou impresso, que confirma que seu titular teve teste negativo para o vírus nas últimas 48 horas, foi totalmente vacinado ou se recuperou de um caso de covid-19.

De acordo com uma pesquisa realizada pela SWG Research, mais de 50% dos italianos apoiam o Green Pass para regulamentar outras atividades além das viagens. Os proprietários de empresas saudaram o Green Pass como uma ferramenta para evitar medidas mais restritivas – se não mesmo outro lockdown no outono.

Com a variante delta mais contagiosa do coronavírus se espalhando rapidamente, o governo italiano está pedindo que mais pessoas sejam vacinadas, e exigir o uso do Green Pass parece estar motivando mais pessoas a tomar as vacinas. Assim que o primeiro-ministro Mario Draghi anunciou os requisitos do Green Pass, em 22 de julho de 2021, várias regiões registraram reservas recordes para nomeações de vacinas, incluindo Abbruzzo, Lazio, Lombardia, Piemonte e Toscana.

Progresso na implementação da vacinação

Com base no que é noticiado na mídia, o público em geral considera as vacinas Pfizer-BioNTech e Moderna as mais eficazes contra a variante delta das quatro vacinas aprovadas pela Agência Europeia de Medicamentos. Assim, no recente aumento de consultas de vacinação, a maioria das pessoas se cadastrou para receber as vacinas da Pfizer ou Moderna, como no caso da região de Marche.

Em 4 de agosto de 2021, as taxas de vacinação nacional da Itália eram mais altas do que as dos Estados Unidos, com 53% das pessoas elegíveis totalmente vacinadas, em comparação com 50% nos EUA, e 64% tendo recebido as primeiras injeções, contra 58% em os EUA

O comissário de Emergência italiano do covid-19, general Francesco Paolo Figliuolo, estabeleceu uma meta de 80% das pessoas elegíveis vacinadas até o final de setembro. Segundo Giovanni Rezza, diretor de Prevenção do Ministério da Saúde, isso permitiria ao país voltar à “pseudonormalidade” nos primeiros meses de 2022.

Local de vacinação em Roma, em julho de 2021: administração da vacina Pfizer com hora marcada. Crédito: Sara Belligoni, CC BY
Sistema de cores rastreia a pandemia em todas as regiões

Com baixas porcentagens de leitos de cuidados intensivos e não críticos ocupados por pacientes de covid-19 – 3% e 4% respectivamente em 4 de agosto de 2021 –, bem como vacinas amplamente disponíveis, o Ministério da Saúde italiano revisou como usa seu sistema de cores para definir mandatos regionais de saúde pública com base na situação de pandemia de uma área.

Por mais de um ano, as cores foram atribuídas – branco, amarelo, laranja ou vermelho, por ordem de nível de emergência – com base no número de casos de covid-19 da região. Mas, a partir da ordem executiva do primeiro-ministro de 22 de julho, as cores agora são atribuídas semanalmente com base nas taxas de infecção e de hospitalização por 100 mil residentes.

Uma região se move para a zona vermelha quando a taxa de infecção semanal sobe acima de 150 por 100 mil, combinada com uma taxa de ocupação de terapia intensiva de 30% e uma taxa geral de hospitalização de 40%.

Os governadores regionais apoiam fortemente essas últimas mudanças no sistema de cores porque elas são responsáveis ​​não apenas pelo número total de infecções e hospitalizações, mas também pela gravidade geral da pandemia na região.

Máscaras obrigatórias

Além do Green Pass, vários requisitos permanecem em vigor, como uso de máscara e distanciamento social em ambientes internos e distanciamento social mesmo em ambientes externos. Quando não é possível manter o distanciamento social ao ar livre, devem-se usar máscaras.

As únicas exceções à obrigatoriedade da máscara são para crianças com menos de 6 anos, bem como para pessoas com deficiência e seus cuidadores, pois o uso de máscara pode impedir a comunicação ou o cuidado.

Os destinos litorâneos da Itália, populares entre italianos e turistas, estão abertos neste verão – com resorts de praia, restaurantes e bares observando o distanciamento social e obrigação do uso de máscara conforme necessário ou exigido pelo governo.

As refeições em ambientes internos estão sendo retomadas na Itália, principalmente com a reabertura do país aos turistas. Mas durante minha recente visita, observei que muitas pessoas ainda preferem comer ao ar livre – o que na verdade é a escolha típica dos italianos durante o verão, com pandemia ou sem pandemia.

A utilização de máscaras em ambientes externos agora está limitada a situações em que o distanciamento social não é possível, como durante eventos esportivos ou na fila ao entrar em museus. Tenho notado, no entanto, que muitas pessoas estão optando por usar máscaras nas ruas e também em ambientes fechados, mesmo quando isso não é obrigatório.

A indústria do turismo acolheu com entusiasmo a reabertura do país pelo governo aos visitantes estrangeiros. Os viajantes que entram na Itália vindos de alguns países, incluindo os Estados Unidos, agora são obrigados a mostrar uma prova oficial de vacinação – como o Certificado Digital da UE ou um cartão de vacinação do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA –, um teste de covid-19 negativo ou um certificado de recuperação de covid-19 assinado por um profissional de saúde.

As placas de transporte público em Roma em julho de 2021 exigem que as pessoas embarquem no ônibus pela porta dos fundos e saiam pela porta do meio – a porta mais próxima do motorista está bloqueada para proteger sua saúde e bem-estar. Crédito: Sara Bellogini, CC BY
Ajustando a vida profissional e escolar

Os escritórios ainda oferecem aos funcionários a opção de trabalhar remotamente, especialmente os funcionários em situação de risco. Quando os funcionários que não estão em uma categoria de risco estão voltando ao trabalho, eles geralmente têm turnos alternados, de modo que menos pessoas estão no escritório ao mesmo tempo.

Várias empresas, incluindo firmas internacionais com escritórios na Itália, estão tomando medidas para garantir o cumprimento das mais recentes leis de pandemia. Por exemplo, a Ferrari, que fechou sua fábrica principal em Maranello três dias antes da imposição do primeiro bloqueio nacional, criou uma pequena força-tarefa interna para garantir que a empresa siga as regras e recomendações do governo.

O ano letivo começa oficialmente em 13 de setembro de 2021, mas o governo ainda não emitiu políticas oficiais para a reabertura de escolas e ainda não está claro quais medidas serão aplicadas durante o ano letivo. Fatores que podem afetar isso incluem o ritmo de vacinação entre crianças e jovens de 12 a 19 anos, e quão bem as escolas serão capazes de manter o distanciamento social – 1,8 metro entre alunos e professores e 90 centímetros entre alunos –, pois algumas escolas podem não têm espaço suficiente em suas salas de aula.

Mas o sistema de comprovação de vacinação também está sendo implementado na educação: a partir de setembro, professores, funcionários de escolas e alunos de universidades precisarão apresentar um Green Pass ou fazer o teste regularmente.

* Sara Belligoni é candidata a doutorado em Estudos de Segurança na Universidade da Flórida Central (EUA).

** Este artigo foi republicado do site The Conversation sob uma licença Creative Commons. Leia o artigo original aqui.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago