Laudo indica que mancha de óleo no Nordeste pode ser petróleo na Venezuela

Ainda não está claro como um petróleo extraído na Venezuela, cujo litoral está no Mar do Caribe, poderia ter chegado até a costa brasileira, no Atlântico

Laudo da Petrobrás aponta que óleo que está contaminando o litoral nordestino pode ter vindo da Venezuela / Foto: Projeto Cetáceos da Costa Branca/Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

A Petrobras encaminhou um laudo sigiloso ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ( Ibama ). O documento diz que o petróleo que contaminou praias no litoral nordestino pode ser venezuelano. A informação é da revista Época.

Segundo a publicação, fontes afirmam que, apesar de o Ibama ter informado que o óleo que está contaminando diferentes praias no Nordeste é o mesmo, o órgão trabalha com a hipótese de que existe mais de uma fonte de contaminação.

Ainda de acordo com a apuração da revista, não está claro como um petróleo extraído na Venezuela, cujo litoral está no Mar do Caribe, poderia ter chegado até a costa brasileira, no Atlântico.

Segundo o último levantamento do Ibama, divulgado no domingo (29), o óleo foi encontrado em 109 praias, localizadas em 54 cidades de oito estados.
Cinco tartarugas cobertas de óleo foram encontradas encalhadas em praias do Ceará. Outra foi achada no Rio Grande do Norte. Uma sétima foi encontrada já morta, também no RN.
Análises apontaram que a substância encontrada nos litorais trata-se de petróleo cru, ou seja, não se origina de nenhum derivado de óleo.
A Petrobrás não comentou a informação levantada pela revista sobre a procedência do óleo, apenas reproduziu o posicionamento divulgado em comunicado anterior, que diz que a companhia atesta que o óleo encontrado nas praias não é compatível com os óleos produzidos pela empresa no Brasil.