Leque ampliado

Dez terapias, conhecidas como alternativas, foram incluídas no Sistema Único de Saúde (SUS), entre elas, hipnoterapia, aromaterapia, cromoterapia, terapia de florais e a constelação familiar

Aromaterapia: uma das técnicas agora aceitas pelo SUS (Foto: Divulgação)

Dez práticas foram incluídas em março entre as terapias complementares oferecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Além de algumas opções mais conhecidas, como hipnoterapia, aromaterapia, cromoterapia, terapia de florais, a lista inclui métodos como a constelação familiar (abordada na edição 518 de PLANETA em “Passado Corrigido”) e a imposição de mãos. Para o Ministério da Saúde, a medida ajuda a promover o bem-estar e reduzir o estresse dos atendidos. A definição sobre adotar ou não essas terapias pertence às unidades de saúde de estados e municípios. De modo previsível, o Conselho Federal de Medicina foi contrário às inclusões. A entidade reconhece apenas duas das agora 29 terapias complementares: acupuntura e homeopatia – desde que praticadas por médicos.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança