Liga Alemã de Futebol rejeita interromper temporada

Organização descartou apelo de clube da segunda divisão para interromper jogos em meio ao aumento dramático de novos casos de covid-19 na Alemanha.A Liga Alemã de Futebol (Deutsche Fußball Liga, conhecida pela sigla DFL) rejeitou nesta quarta-feira (24/11) um apelo para interromper a atual temporada em meio a recordes consecutivos de casos de covid-19 no país.

A DFL, responsável pelas duas primeiras divisões do futebol alemão, fez a declaração em resposta a um pedido de Helge Leonhardt, presidente do clube de segunda divisão Erzgebirge Aue, da Saxônia, para que os jogos fossem interrompidos até dezembro.

Leonhardt havia afirmado que o futebol precisa servir de exemplo e colocar a segurança das pessoas em primeiro lugar. Ele também afirmou que a medida era necessária para ajudar a diminuir o risco de novas infecções e reduzir a pressão sobre o sistema de saúde alemão.

“A DFL registra os comentários do presidente do Erzgebirge Aue”, disse a entidade em comunicado, acrescentando que quaisquer medidas futuras seguirão o conselho das autoridades estaduais de saúde da Alemanha. “A linha aprovada por todos os 36 clubes [nas duas primeiras divisões] desde o início da pandemia sempre foi agir com base em diretrizes das autoridades”.

“Um lockdown generalizado autoimposto no sentido de uma interrupção da temporada está fora de questão”, concluiu a DFL.

A Alemanha registrou um novo recorde de 66.884 novas infecções e 335 mortes adicionais por coronavírus nesta quarta-feira, o que elevou o total de óbitos para quase 99.768, segundo dados do Instituto Robert Koch de Doenças Infecciosas (RKI). A Alemanha deve atingir ainda nesta semana o total de 100 mil mortes registradas ao longo da crise sanitária.

A incidência de casos por 100 mil habitantes em sete dias no país europeu superou a marca de 400 pela primeira vez desde o início da pandemia, ficando em 404,5 nesta quarta. Há uma semana, a incidência de sete dias era de 319,5, e há um mês, de 106,3.

De acordo com dados do RKI, um total de 68,1% da população da Alemanha está totalmente imunizada contra a covid-19. A taxa está praticamente estagnada há semanas.

A baixa taxa de vacinação é considerada uma das razões para o avanço da quarta onda da pandemia, e autoridades afirmaram que o país vive uma “pandemia dos não vacinados”. Especialistas dizem que, para controlar a pandemia de forma eficaz, é necessário um percentual de imunização superior a 75%.

A discussão sobre implementar a vacinação obrigatória contra a covid-19 vem ganhando força e, nesta semana, o ministro da Saúde, Jens Spahn, usou palavras drásticas para tentar motivar a parcela da população que ainda não foi imunizada a tomar a vacina.

“Possivelmente, ao fim deste inverno, praticamente todos aqui na Alemanha — isso às vezes é dito, de forma algo cínica — estarão vacinados, curados ou mortos. Mas de fato é assim”, disse Spahn.

jps (Reuteres, DW, ots)

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago


COMPARTILHAR