• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Cultura26/10/2021

Manuscrito de 500 anos revela crenças e cultos religiosos medievais

Manuscrito de 500 anos revela crenças e cultos religiosos medievais

Manuscrito de 500 anos revela crenças e cultos religiosos medievais (Foto: Gail Turner/Journal of the British Archaeological Association)

26/10/21 - 12h08min - Atualizado em 12/05/22 - 08h11min

Um raro rolo de oração medieval inglês de mais de 500 anos, que se acredita estar entre apenas algumas dezenas ainda existentes em todo o mundo, foi analisado em um novo estudo para expor as crenças católicas da Inglaterra antes da Reforma no século XVI.

O manuscrito, de um metro de comprimento, fornece novas percepções sobre a peregrinação cristã e o culto da cruz antes da dissolução dos mosteiros de Henrique VIII.

A análise das ilustrações e do texto do rolo antigo, incluindo versos religiosos em latim e inglês, foram publicados no Journal of the British Archaeological Association. "Em particular, o estudo demonstra a devoção cristã na Inglaterra medieval", declara a historiadora de arte e autora do estudo, Gail Turner.

"Ele dá uma visão sobre os rituais ligados a um grande crucifixo ('Rood') em Bromholm Priory, em Norfolk, e revela uma ligação direta entre este artefato do século 16 e uma famosa relíquia religiosa uma vez associada entre os cristãos com milagres", acrescentou.

O 'Rood de Bromholm', como é conhecido pelos historiadores, supostamente continha um fragmento da cruz sobre a qual Jesus foi crucificado. A relíquia transformou o Priorado em um local de peregrinação popular mencionado por Geoffrey Chaucer e em The Vision of Piers Ploughman.

A análise de Turner sugere que um peregrino próspero era possivelmente o proprietário do rolo de oração de Bromholm, feito de duas peças de pergaminho costuradas e compradas por um colecionador particular na década de 1970.

"O rolo reflete uma época em que os leigos (não clérigos) acreditavam realmente em inimigos visíveis e invisíveis", disse Turner, que trabalhou na Tate Britain, no Arts Council e como consultora para Christie's e no Courtauld. "Para seus donos, os rolos de oração... eram apreciados como inspirações muito pessoais para a oração, embora durante a Reforma e depois de terem sido comumente subestimados e rejeitados. A sobrevivência de um rolo tão magnífico por mais de 500 anos é, portanto, notável."

+ Mãe confessa ter matado três filhos com a ajuda do irmão mais velho deles
+ SP: Polícia encontra milhares de capacetes de moto escondidos em telhado de loja
+ Vídeo: Jade Picon sensualiza com body transparente e cavadíssimo

O dono original do rolo provavelmente era um 'adorador devoto' familiarizado com as festas de Bromholm, explicou Turner. Um patrono do priorado, um membro da família Paston local ou um amigo de John Underwood estão entre suas sugestões.

Saiba mais
+ Carolina Dieckmann pede R$ 9 milhões por mansão no Rio
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua

cultos religiosos