Mapeados efeitos negativos do divórcio na saúde física e mental

Estudo dinamarquês constatou, em homens e mulheres que passam pelo divórcio, que certos aspectos da vida resistem melhor aos impactos da separação do que outros

Divórcio: impactos mensurados por pesquisadores dinamarqueses. Crédito: Piqsels

Passar por um divórcio é extremamente desafiador e pesquisas anteriores destacaram os efeitos adversos que isso pode ter sobre os divorciados. Um estudo recente da Universidade de Copenhague (Dinamarca) publicado na revista “Frontiers in Psychology” é o primeiro a examinar os impactos na saúde imediatamente após o divórcio. O estudo descobriu que a saúde mental e física dos divorciados recentes era pior do que a da população de fundo. Além disso, níveis mais altos de conflito antecipavam pior saúde mental, independentemente de outros fatores. Compreender esses efeitos pode ajudar os pesquisadores a projetar intervenções que ajudem os divorciados a se reerguer e evitar repercussões de longo prazo.

Os pesquisadores têm examinado os efeitos mentais e físicos do divórcio, mas podem ter perdido a oportunidade de caracterizar com precisão esses efeitos, até agora. O divórcio costuma ser um processo demorado, com muitos países exigindo um período de separação antes que os casais possam solicitar o divórcio. No entanto, uma longa separação pode permitir que feridas psicológicas sarem e avaliar divorciados após esse período pode subestimar seu impacto.

“Estudos anteriores não investigaram os efeitos do divórcio sem que ocorram longos períodos de separação antes do divórcio”, disse o professor Gert Hald, da Universidade de Copenhague. “Pudemos estudar os divorciados aos quais foi concedido o chamado divórcio ‘imediato’ na Dinamarca e, em média, esses divorciados obtiveram o divórcio cinco dias após o pedido.”

LEIA TAMBÉM:

Piora significativa

Isso permitiu que Hald e colegas da universidade, incluindo o dr. Søren Sander, obtivessem dados em “tempo real” sobre 1.856 divorciados recentes, que preencheram questionários sobre seus antecedentes, saúde e seu divórcio.

Sem surpresa, o estudo mostrou que um divórcio recente cobra um preço emocional e físico. “A saúde mental e física dos divorciados era significativamente pior do que a da população de base comparativa imediatamente após o divórcio”, disse Sander.

No entanto, algumas tendências interessantes emergiram dos dados. Por exemplo, entre os homens participantes, ganhar mais e ser mais jovem foi relacionado a uma melhor saúde física, enquanto ter mais filhos, ter uma nova parceira e até ter mais divórcios anteriores foram aspectos associados a uma melhor saúde mental. Entre as mulheres, ganhar mais dinheiro, ter um novo parceiro e ter menos divórcios anteriores foram aspectos associados a uma melhor saúde física, ao passo que iniciar o divórcio e ter um novo parceiro foram relacionados a uma saúde mental melhor.

A influência do conflito

Notou-se um fator que teve grande influência nas divorciadas: o conflito. “Em ambos os sexos, níveis mais altos de conflito de divórcio foram considerados preditores de pior saúde mental, mesmo levando em consideração outras variáveis ​​sociodemográficas e características do divórcio”, disse Sander.

Então, como as descobertas podem ajudar as pessoas a navegar em um divórcio com sua saúde intacta? Intervenções direcionadas no início do processo podem ser fundamentais. “Precisamos de intervenções baseadas em evidências que possam ajudar os divorciados imediatamente após o divórcio”, disse Hald. “Isso pode incluir intervenções face a face ou virtuais projetadas para reduzir os efeitos adversos específicos do divórcio sobre a saúde física e mental. Isso não só seria benéfico para divorciados, mas também poderia economizar dinheiro ao combater os impactos negativos do divórcio na produtividade no local de trabalho, faltas por doença, consultas médicas e uso de instalações de saúde.”

Em outro estudo recente, os pesquisadores desenvolveram uma solução digital online chamada ‘Cooperação após o divórcio’ que ajuda divorciados a reduzir significativamente esses efeitos adversos à saúde física e mental. Os resultados deste último estudo irão ajudá-los a refinar tais abordagens no futuro.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago