Meio Ambiente

RETRATOS DE UM BIOMA AMEAÇADO

O mico-leão-de-cara-preta é o astro do Concurso de Fotografia 2008 da Fundação SOS Mata Atlântica, iniciativa destinada a incentivar fotógrafos amadores e profissionais a descobrir e divulgar o bioma mais ameaçado do País. Celso Margraf, de Ponta Grossa (PR), que bateu a foto vencedora (acima) – “Mico-leão-de-cara-preta (leontopithecus caissara), primata endêmico da mata atlântica” – na ilha do Superagüi, no litoral paranaense, levará R$ 5 mil.

No total, 653 inscritos enviaram 2.242 fotos para a quarta edição do concurso. O júri, composto pelos fotógrafos Fabio Colombini e Clayton Ferreira Lino, o biólogo Luís Fábio Silveira e os publicitários Keka Menezes e Plínio Bocchino, selecionou 30 imagens; as 10 primeiras receberam prêmios em dinheiro, e as 20 restantes, kits de produtos da fundação. Essas fotos serão usadas na Agenda 2009 da SOS Mata Atlântica, em exposições, publicações ou em veículos de comunicação.

Itaipu: modelo em ações socioambientais.

KNOW-HOW DO BRASIL PARA A CHINA

Inspiração técnica para a maior hidrelétrica do mundo – a de Três Gargantas, na China -, a Itaipu Binacional pode servir de modelo para ações socioambientais. Num simpósio promovido em outubro pelos administradores da usina chinesa, em parceria com as ONGs The Nature Conservancy, World Wide Fund for Nature (WWF) e International Hydropower Association (IHA), o diretor de Coordenação e de Itaipu, Nelton Friedrich, apresentou as iniciativas da empresa no setor. O destaque foi o Programa Cultivando Água Boa, reunião de 20 programas e 63 projetos feitos em parceria em 29 municípios na área de influência da usina. Segundo Friedrich, os chineses têm interesse na gestão por microbacias, no envolvimento dos parceiros de Itaipu e nos resultados ambientais obtidos. O encontro deve render um intercâmbio de informações com a direção do WWF na China e visitas de representantes de hidrelétricas a Itaipu.

INCENTIVO À RECICLAGEM

Iniciado em agosto, o programa de reciclagem Extra H2OH!, parceria do Grupo Pão de Açúcar com a Pepsi e a Ambev, deve chegar a 35 estações de reciclagem nos hipermercados Extra até o fim do ano. Cerca de R$ 1,2 milhão está sendo investido em 2008 para a implantação do programa em São Paulo, Guarulhos, Piracicaba, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Uberlândia, Brasília, Curitiba e Maceió.

Feitas com materiais totalmente reciclados e recicláveis, as estações recebem papel, plástico, metal, vidro e óleo de cozinha usado (que deve ser armazenado em garrafa PET antes de ser entregue). Todo o material coletado é doado a cooperativas de catadores, e o dinheiro obtido reverte para os cooperados. Além desse lado social, a iniciativa busca conscientizar o público quanto à preservação do meio ambiente.

 

EDIFÍCIO VERDE CERTIFICADO NO RIO

A tendência das construções “verdes” no Brasil ganhou em outubro mais um reforço, com a certificação Leadership in Energy and Environmental Design (LEED) concedida ao Edifício Cidade Nova, no Rio de Janeiro. A obra de cerca de 52 mil metros quadrados, ocupada pela Petrobras, torna-se, assim, o primeiro prédio comercial certificado do Brasil e a primeira construção certificada do Rio de Janeiro. O edifício obteve a certificação após auditoria dos representantes da United States Green Building (USGBC), sob supervisão e consultoria da Cushman & Wakefield. Foram seguidas na construção normas que reduzem o impacto sobre o meio ambiente, como captação e reúso da água, instalação de vidros isotérmicos, concepção de paisagismo e área verde proporcionais ao empreendimento, controle de ar-condicionado individual, descontaminação do solo e disponibilização de vagas especiais para veículos de baixa emissão.

VOLT, A APOSTA ECOLÓGICA DA GM

O dia do 100º aniversário da General Motors, 17 de setembro de 2008, foi o escolhido pela montadora para a apresentação oficial, em Detroit, de uma de suas mais ousadas apostas: o Chevrolet Volt, um novo tipo de automóvel híbrido. Diferentemente de outros veículos desse segmento (como o Prius, da Toyota), que têm dois motores – um elétrico e um térmico – e funcionam basicamente a gasolina, o Volt só tem um motor elétrico, que pode rodar 60 quilômetros graças a uma bateria de íonlítio. Depois disso, a eletricidade vem de um gerador que funciona baseado no E85 (mistura de 85% de etanol e 15% de gasolina). A GM pretende iniciar a fabricação do Volt nos Estados Unidos no fim de 2010, e para isso conta com ajuda governamental.

 

COMPARTILHAR