Mercúrio aparece em detalhes em nova foto de sonda

BepiColombo fez a foto em 1º de outubro, ao sobrevoar o planeta mais próximo do Sol

Mercúrio pelas lentes da missão BepiColombo: vista recente do planeta mais próximo do Sol. Crédito: ESA/BepiColombo/MTM, CC BY-SA 3.0 IGO

A missão conjunta europeia-japonesa BepiColombo capturou a vista de Mercúrio reproduzida acima em 1º de outubro de 2021, quando a espaçonave passou pelo planeta para uma manobra assistida por gravidade.

A imagem foi tirada às 23:44:12 UTC (Tempo Universal Coordenado, três horas adiante do de Brasília) pela Câmera de Monitoramento 2 do Mercury Transfer Module. A espaçonave estava então a cerca de 2.418 km do planeta. A aproximação mais próxima de cerca de 199 km ocorreu pouco antes, às 23:34 UTC. Nesta visualização, o norte está voltado para o canto inferior direito. As câmeras fornecem instantâneos em preto e branco com resolução de 1024 x 1024 pixels.

A região mostrada faz parte do hemisfério norte de Mercúrio, incluindo Sihtu Planitia, que foi inundada por lavas. Uma área arredondada mais lisa e mais brilhante do que seus arredores caracteriza as planícies ao redor da cratera Calvino, chamadas de Planícies Rudaki. A cratera Lermontov, de 166 km de largura, também é vista. Ela parece brilhante porque contém características exclusivas de Mercúrio, “cavidades” onde elementos voláteis estão escapando para o espaço. Ela contém ainda uma abertura onde ocorreram explosões vulcânicas.

Ajuste de curso

A missão BepiColombo estudará esses tipos de recursos uma vez em órbita ao redor do planeta.

Clique aqui para obter uma versão com anotações desta imagem.

A manobra de assistência por gravidade foi a primeira em Mercúrio e o quarto de nove sobrevoos no geral. Durante sua viagem de sete anos ao menor e mais interno planeta do Sistema Solar, BepiColombo faz um sobrevoo na Terra, dois em Vênus e seis em Mercúrio para ajudar a orientar o curso para a órbita de Mercúrio em 2025.

O Mercury Transfer Module carrega dois orbitadores científicos: o Mercury Planetary Orbiter, da Agência Espacial Europeia (ESA), e o Mercury Magnetospheric Orbiter, da agência espacial japonesa (Jaxa). A partir de órbitas complementares, eles estudarão todos os aspectos do misterioso Mercúrio desde o seu núcleo aos processos de superfície, campo magnético e exosfera, para melhor compreender a origem e evolução de um planeta próximo da sua estrela-mãe.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago