“Minieclipse” de Mercúrio pode ser visto até as 15 horas de hoje

Próximo alinhamento Sol-Mercúrio-Terra só ocorrerá em 2032

Mercúrio (o ponto no alto, direita, na foto) passa à frente do Sol em 2006: alinhamento não é comum, e o próximo só ocorrerá em 2032. Crédito: edhiker/Wikimedia

Entre 9h35 e 15h00 de hoje (11 de novembro), no horário de Brasília, a Terra e o planeta Mercúrio estão alinhados com o Sol, o que permite aos observadores daqui verem Mercúrio passar em frente ao Sol, formando um “minieclipse”. O menor e mais próximo planeta do nosso sistema, vale lembrar, não tem tamanho suficiente para “esconder” nossa estrela por inteiro.

A passagem de um astro na frente de outro, em relação a um observador, caracteriza um trânsito celeste. No caso de hoje, será um trânsito do tipo planetário – algo que pode acontecer apenas com os planetas Mercúrio e Vênus, situados entre o Sol e a Terra. Os trânsitos planetários são eventos não muito frequentes – o alinhamento Sol-Mercúrio-Terra, por exemplo, ocorreu em 2016 e voltará a acontecer apenas em 13 de novembro de 2032.

LEIA TAMBÉM: Foto registra “anel de diamante” durante o último eclipse solar

Como a passagem de Mercúrio diante do Sol não pode ser vista a olho nu, a observação deve ser realizada com telescópios equipados com aparelhos específicos (filtros) acoplados, especiais para o evento. (Arriscar-se a olhar para o Sol com óculos escuros, placas de raios X, vidros escurecidos ou similares pode causar até a perda da visão.) Quem tiver acesso a tais instrumentos poderá ver um pequeno disco escuro transitando na frente do Sol, com diâmetro aparente (visto da Terra) de apenas 10 segundos de arco. O trânsito de 2019 pode ser visto integralmente no Brasil.