Morre o primeiro paciente de ebola em metrópole da África Central

Partícula do vírus ebola: risco de ampliação de contágio na África Central. Foto: NIH/Wikimedia

Falecimento acentua o temor de que o vírus ebola se espalhe mais rapidamente pelos países da região

 

O primeiro paciente com ebola em Goma, a maior cidade do leste da República Democrática do Congo (RDC), morreu hoje, segundo informações do Ministério da Saúde congolês noticiadas pelos jornais “The Guardian” e “O Estado de S.Paulo”. De acordo com a versão oficial, a vítima era um pastor evangélico de 46 anos morador de Goma que foi infectado durante uma visita à cidade de Butembo, um dos epicentros do surto.

Durante sua estada em Butembo, ele participou de serviços religiosos em sete igrejas e começou a apresentar os primeiros sintomas da doença em 9 de julho. Foi tratado em domicílio por uma enfermeira até decidir viajar de ônibus a Goma, três dias depois.

O pastor foi a um centro de saúde e, em seguida, foi transferido para o Centro de Tratamento do Ebola (ETC) de Goma, onde testou positivo para o vírus. As equipes médicas decidiram então levá-lo de volta a Butembo para receber um tratamento mais adequado. O paciente morreu durante a viagem, segundo as autoridades congolesas.

A Organização Mundial de Saúde informou na segunda-feira que autoridades de saúde identificaram 60 pessoas que entraram em contato com o pastor desde que ele adoeceu e metade delas foi vacinada.

A chegada do ebola a Goma, maior cidade do leste da RDC e um importante centro de transporte regional, aumenta o temor de que o surto, que já é a segunda epidemia mais letal da doença, possa se disseminar mais rapidamente.