Morre o rabino Henry Sobel, aos 75 anos

Câncer no pulmão vitima o religioso, de atuação ecumênica marcante durante o regime militar brasileiro

Sobel: atuação ecumênica marcante. Crédito: Wilson Dias/ABr

O rabino Henry Sobel faleceu hoje (22 de novembro) de manhã em Miami (EUA), por complicações associadas a um câncer no pulmão.

Rabino emérito da Congregação Israelita Paulista (CIP), Sobel tinha 75 anos. Entrevistado em duas ocasiões por PLANETA, destacou-se por sua forte atuação no combate pelo esclarecimento do assassinato do jornalista Wladimir Herzog, de origem judaica, cometido pelos órgãos de repressão em São Paulo, em 1975. Sua atuação ecumênica foi particularmente importante durante a ditadura brasileira (1964-1985), quando ele se uniu ao pastor presbiteriano Jaime Wright e ao cardeal católico dom Paulo Evaristo Arns para denunciar as violações aos direitos humanos no país, do que resultou a publicação do livro Brasil: Nunca Mais, em 1985.

Sobel será sepultado no domingo, em Nova York.