Morsa do Ártico vai parar em praia da Irlanda

Animal teria dormido em um iceberg e acabou por ser levado pela Corrente do Golfo até a costa irlandesa

A morsa no último domingo: acontecimento incomum na costa irlandesa. Crédito: Seán Mac An Tsíthigh/Twitter

As morsas (Odobenus rosmarus) vivem perto do Círculo Polar Ártico, onde se alimentam de moluscos em águas rasas e arrastam-se sobre icebergs e praias para descansar. Então, o que uma delas estaria fazendo em uma praia irlandesa no último domingo, 14 de março?

O animal, um macho, foi visto por uma menina de 5 anos, Muireann Houlihan, enquanto ela caminhava com seu pai, Alan, pela Ilha Valentia, no condado de Kerry, no sudoeste da Irlanda. “Pensei que era uma foca no começo, e então vimos as presas”, disse o pai, de acordo com o site IrishCentral. “Ele meio que pulou nas pedras. Era enorme. Era do tamanho de um touro ou de uma vaca, muito semelhante em tamanho; ele é grande, grande.”

A ocorrência de morsas na Irlanda não é comum, embora o IrishCentral informe sobre alguns casos entre 1930 e o fim do século passado. Segundo Kevin Flannery, biólogo marinho do Dingle Oceanworld Aquarium, esse seria o primeiro caso confirmado da presença desse animal em águas irlandesas.

A morsa da Ilha Valentia é considerada bem jovem, pois suas presas têm apenas 30 cm de comprimento. O animal estava exausto no domingo, quando Houlihan a avistou pela primeira vez.

Segundo Flannery, é provável que a morsa estivesse dormindo em um iceberg que derreteu na costa da Groenlândia e que o animal pode ter flutuado pela Corrente do Golfo antes de chegar à Ilha Valentia. O biólogo defende que a morsa deveria ser deixada sozinha para recuperar suas forças. “Espero que, então, ele possa voltar para casa sozinho”, disse.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança