Mulheres fotógrafas: diários de viagem da quarentena no mundo

Fotógrafas do projeto The Journal, do grupo Women Photograph, descrevem em imagens suas experiências em meio à quarentena vivida em diversas partes do planeta

Nazik Armenakyan, Yerevan, Armênia: “Dia 11 do isolamento. Autorretrato com uma árvore de cerejeira florescendo no quintal do escritório. Dirigi até lá para buscar algumas coisas importantes. Nosso escritório está trancado há mais de dez dias”. Crédito: © Nazik Armenakyan

Isolamento, perda de renda, encargos domésticos esmagadores – as mulheres fotógrafas foram duramente atingidas pela quarentena imposta para conter a pandemia de covid-19. Diante dessa situação sem precedentes, mais de 400 fotógrafas se reuniram em um projeto colaborativo exclusivo, The Journal – que começou espontaneamente em meados de março de 2020, após um chamamento no Facebook da comunidade Women Photograph.

Lançada em 2017, essa rede – cuja missão é aumentar a presença de mulheres fotojornalistas na mídia – atraiu mais de mil membros em mais de 100 países.

As mulheres que participaram do projeto The Journal documentaram suas vidas diárias durante as semanas e meses de confinamento através de imagens. De Bangkok a Kampala, via Pequim, Tbilisi e Cidade do México, eles oferecem relatos muito pessoais, poéticos, melancólicos ou bem-humorados de seu autoisolamento. Esse mergulho em suas vidas particulares retrata um momento paradoxal – vivido coletivamente, mas com cada uma em sua própria casa.

LEIA TAMBÉM: Ser mulher

Essa perspectiva das mulheres, que é reivindicada como tal, é rara em um ambiente em que as fotojornalistas estão descaradamente sub-representadas. “Não faltam fotógrafas, apenas falta de contratação equitativa”, explica Daniella Zalcman, fundadora da Women Photograph. A organização sem fins lucrativos, que compila dados sobre paridade no fotojornalismo, aponta que apenas 29,5% das fotos publicadas no “The New York Times” em 2019 foram tiradas por mulheres. Em “Le Monde” e “The Guardian”, esse número é de pouco mais de 10%. A pandemia provavelmente aumentará ainda mais essas desigualdades.

Das mulheres integrantes da Women Photograph, 96% dizem ter sido afetadas financeiramente pela pandemia. O coletivo criou o Women Photograph Covid-19 Emergency Fund para ajudar suas integrantes, a maioria dos quais são fotógrafas independentes.

Yan Cong, Pequim, China: “No terceiro dia da minha quarentena de 14 dias em um quarto de hotel em Pequim, comecei a tirar fotos pelo olho mágico. Durante a quarentena, não tive permissão para sair do meu quarto e todas as minhas refeições foram deixadas na porta para evitar o contato interpessoal direto. O olho mágico se tornou a única maneira de eu observar o aparato de quarentena”. Crédito: © Yan Cong
Tarina Rodriguez, Cidade do Panamá, Panamá: “Quando o anormal se torna normal na vida cotidiana. Esta é a entrada da minha casa”. Crédito: © Tarina Rodriguez
Saumya Khandelwal, Nova Délhi, Índia: “Esta é uma foto do meu avô, Mahesh Kumar Khandelwal, enquanto ele se barbeia à luz do sol que entra em seu quarto em Lucknow, em 22 de março de 2020. Acabamos de vender nossa casa ancestral (onde a foto foi tirada) e deveríamos sair alguns dias depois, mas a quarentena atrasou esses planos. Enquanto isso, estou aproveitando o tempo extra que recebo na casa onde cresci”. Crédito: © Saumya Khandelwal
Janet Jarman, Cidade do México, México: “A segurança no México, onde moro, deteriorou-se significativamente nos últimos anos, adicionando uma camada extra de estresse à crise da saúde. Tenho certeza de que não estou sozinha”. Crédito: © Janet Jarman
Khadija Farah, Nairóbi, Quênia: “Alguns dias eu não acordo me sentindo como um pano molhado. Quando isso acontece, encontro energia suficiente para fazer uma máscara facial, pintar minhas unhas e discutir com meus melhores amigos ao redor do mundo sobre questões não relacionadas ao vírus. Estes dias estão se tornando mais frequentes, e são quando me sinto um pouco mais de volta”. Crédito: © Khadija Farah

 

 

Iman Al-Dabbagh, Jeddah, Arábia Saudita: Zahra e Samer planejavam estar em um resort no Egito para o casamento quando a pandemia irrompeu. Em vez disso, eles acabaram se casando calmamente em casa. Crédito: © Iman Al-Dabbagh
Watsamon “June” Tri-yasakda, Bangkok, Tailândia: motoristas de entrega de refeições praticam distanciamento social enquanto aguardam pedidos de comida e bebida de restaurantes que estão abertos para entrega e retirada de pedidos. Crédito: © Watsamon Tri-yasakda
Sumy Sadurni, Kampala, Uganda: Alicia (à direita) está presa desde antes da pandemia da covid-19, devido a ferimentos que sofreu em um acidente em Kampala. Danny (à esquerda), que está cozinhando cabras em um fogão ao ar livre, é sua companhia de casa, amigo e ponto de apoio. Agora que os dois estão sempre em casa, passam o dia cozinhando, se recuperando e relaxando. Crédito: © Sumy Sadurni

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança