Nasa desenvolve ventilador para covid-19 em 37 dias

Para enfrentar a falta de ventiladores destinados a pacientes da covid-19, a Nasa desenvolveu um aparelho desse tipo de produção rápida que está sendo testado em centros médicos

Alguns dos vários engenheiros envolvidos na criação do ventilador: ajuda importante para enfrentar a pandemia. Crédito: Nasa/JPL-Caltech

Um novo ventilador de alta pressão desenvolvido por engenheiros da Nasa e adaptado para o tratamento de pacientes com coronavírus (covid-19) passou por um teste crítico na semana passada na Icahn School of Medicine no hospital Mount Sinai, em Nova York, um epicentro da covid-19 nos Estados Unidos.

O dispositivo, chamado Vital (Ventilator Intervention Technology Accessible Locally), foi desenvolvido por engenheiros do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa (JPL-Nasa, na sigla em inglês), no sul da Califórnia, para liberar o suprimento limitado de ventiladores tradicionais do país, a fim de que possam ser usados ​​em pacientes com os mais graves sintomas de covid-19.

“Somos especializados em naves espaciais, não na fabricação de dispositivos médicos”, disse o diretor do JPL, Michael Watkins. “Mas engenharia de excelência, testes rigorosos e prototipagem rápida são algumas de nossas especialidades. Quando as pessoas do JPL perceberam que poderiam ter o que é necessário para apoiar a comunidade médica e a comunidade em geral, elas sentiram que era seu dever compartilhar sua engenhosidade, experiência e seu ímpeto.”

LEIA TAMBÉM: Saiba o que o coronavírus causa nos pulmões

Satisfação com resultados

A Nasa está buscando a aprovação acelerada da FDA (a agência americana que regula alimentos e remédios) para o dispositivo por meio de uma autorização de uso emergencial, um processo de aprovação acelerado desenvolvido para situações de crise que levam apenas alguns dias, em vez de anos. Com esse objetivo, o JPL entregou um protótipo do respirador ao Laboratório de Simulação Humana no Departamento de Anestesiologia, Perioperatório e Medicina da Dor no Mount Sinai para testes adicionais.

“Ficamos muito satisfeitos com os resultados dos testes que realizamos em nosso laboratório de simulação humana de alta fidelidade”, disse o dr. Matthew Levin, diretor de inovação do Laboratório de Simulação Humana e professor associado de anestesiologia, medicina pré-operatória e da dor e genética e ciências genômicas da Icahn School of Medicine. “O protótipo da Nasa foi executado conforme o esperado em uma ampla variedade de condições simuladas dos pacientes. A equipe acredita que o ventilador Vital poderá ventilar com segurança pacientes que sofrem de covid-19 aqui nos Estados Unidos e em todo o mundo.”

O Vital pode ser construído mais rapidamente e mantido mais facilmente do que um ventilador tradicional. Ele é composto por muito menos peças, e várias delas estão atualmente disponíveis para possíveis fabricantes por meio de cadeias de suprimentos existentes. Seu design flexível significa que também pode ser modificado para uso em hospitais de campo, instalados em centros de convenções, hotéis e outras instalações de alta capacidade em todo o país e ao redor do mundo.

Adaptação específica

Como todos os ventiladores, o Vital exige que os pacientes sejam sedados e um tubo de oxigênio seja inserido nas suas vias aéreas para eles respirarem. O novo dispositivo não substitui os ventiladores hospitalares atuais, que podem durar anos e são fabricados para atender a uma ampla gama de problemas médicos. Em vez disso, o Vital deve durar de três a quatro meses e é especificamente adaptado para pacientes com covid-19.

“As unidades de terapia intensiva estão atendendo pacientes com covid-19 que precisam de ventiladores altamente dinâmicos”, disse o dr. J.D. Polk, chefe de saúde e medicina da Nasa. “A intenção com o Vital é diminuir a probabilidade de os pacientes chegarem ao estágio avançado da doença e exigir assistência mais avançada do ventilador.”

O Escritório de Transferência de Tecnologia e Parcerias Corporativas do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), que gerencia o JPL da Nasa, oferecerá uma licença gratuita para o Vital e atualmente está entrando em contato com a indústria médica comercial para encontrar fabricantes para o dispositivo.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança