Nasa localiza os restos de módulo indiano acidentado na Lua

Destroços do pousador Vikram, da missão Chandrayaan-2, estão espalhados por quase 20 pontos

Imagem divulgada pela Nasa da área de impacto do módulo Vikram. Os pontos em verde são destroços do pousador; aqueles em azul indicam alterações no solo. Crédito: Nasa/Goddard/Universidade Estadual do Arizona

Quase três meses depois de a Índia perder contato com o pousador Vikram de sua sonda Chandrayaan-2, que deveria ter descido suavemente na região polar sul da Lua, um satélite da Nasa encontrou o local de impacto e restos do objeto, anunciou a agência espacial dos EUA.

A Nasa divulgou uma imagem obtida pela sonda Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO) que mostra o local do impacto da espaçonave (ocorrido em 7 de setembro) e a área de detritos associada, com destroços espalhados por quase duas dezenas de locais em vários quilômetros quadrados.

Em comunicado, a Nasa havia publicado uma imagem em mosaico do local em 26 de setembro, convidando o público a procurar por sinais do módulo de alunissagem. A agência acrescentou que uma pessoa chamada Shanmuga Subramanian entrou em contato com o projeto LRO com uma identificação positiva de destroços. A primeira peça foi encontrada cerca de 750 metros a noroeste do local do acidente principal.

LEIA TAMBÉM: Fracassa tentativa de pouso da sonda Chandrayaan-2 na Lua

Estudo de crateras

A missão Chandrayaan-2, orçada em aproximadamente US$ 140 milhões, tinha como objetivo estudar crateras lunares permanentemente à sombra que conteriam depósitos de água confirmados pela missão Chandrayaan-1, em 2008. Nas palavras de K. Sivan, presidente da Organização de Pesquisa Espacial da Índia (ISRO, na sigla em inglês), a Chandrayaan-2 seria a “missão mais complexa já realizada” por ela.

A Chandrayaan-2 decolou em 22 de julho do centro espacial Satish Dhawan, em Sriharikota, ilha na costa do estado de Andhra Pradesh. Depois de semanas de viagem, ela entrou na órbita lunar em 20 de agosto. Em 2 de setembro, o pousador Vikram se separou da nave e iniciou uma série de manobras para a descida, que pelos planos levaria cinco dias. O módulo ficou silencioso a apenas 2,1 quilômetros da superfície.

A Índia esperava se tornar o quarto país, depois dos Estados Unidos, da Rússia e da rival regional China, a fazer um pouso bem-sucedido na Lua, o primeiro no polo sul do satélite. Dias após a falha na aterrissagem, a ISRO anunciou que havia localizado o Vikram, mas não conseguira estabelecer comunicação.