Neandertais eram exigentes na fabricação de ferramentas

Estudo americano revela que essa espécie ancestral humana preferiam usar costelas bovinas na fabricação de instrumentos destinados a fazer roupas de couro

Os neandertais, que viveram na Europa e na Ásia até cerca de 40 mil anos atrás, eram pessoas mais sofisticadas do que se pensava, e as evidências nesse sentido não param de se avolumar. Um novo estudo internacional liderado pela Universidade da Califórnia em Davis (UC Davis), nos EUA, mostra que os neandertais optaram por usar ossos de animais específicos para fazer uma ferramenta para fins específicos: vestes de couro. Os resultados da pesquisa foram publicados na revista “Scientific Reports”.

Naomi Martisius, pesquisadora associada do Departamento de Antropologia da UC Davis, estudou as ferramentas neandertais de locais no sul da França para sua pesquisa de doutorado. Os neandertais deixaram para trás uma ferramenta chamada lissoir, um pedaço de costela de animal com uma ponta suavizada usada para esfregar peles de animais a fim de transformá-las em couro. Esses lissoirs estão frequentemente tão lisos que é impossível dizer de qual animal eles vieram apenas olhando para eles.

Martisius e colegas usaram espectrometria de massa altamente sensível para examinar resíduos de proteína de colágeno dos ossos. O método é chamado ZooMS (abreviatura em inglês para Zooarqueologia por Espectometria de Massa). A técnica divide as amostras em fragmentos que podem ser identificados por sua razão massa/carga e usados ​​para reconstruir a molécula original.

LEIA TAMBÉM: Neandertais tinham mães mais velhas e pais mais novos

Normalmente, esse método envolveria a perfuração de uma amostra do osso. Para evitar danificar esse material precioso, Martisius e colegas conseguiram levantar amostras dos recipientes de plástico nos quais os ossos haviam sido armazenados e recuperar material suficiente para realizar uma análise.

Algumas das amostras de lissoirs estudadas pelos pesquisadores. Crédito: Naomi Martisius, UC Davis
Costelas bovinas

Os resultados mostram que os ossos usados ​​para fabricar lissoirs vieram principalmente de animais da família dos bovinos, como bisontes ou auroques (um parente selvagem do gado moderno que agora está extinto). Mas outros ossos de animais do mesmo depósito mostram que as renas eram muito mais comuns e frequentemente caçavam comida. Então, os neandertais estavam escolhendo usar apenas costelas de certos tipos de animais para fazer essas ferramentas.

“Acho que isso mostra que os neandertais realmente sabiam o que estavam fazendo”, disse Martisius. “Eles estavam pegando deliberadamente essas costelas maiores quando encontravam esses animais enquanto caçavam e podem até ter mantido essas ferramentas por muito tempo, como se faria com uma chave-inglesa ou chave de fenda favorita.”

As costelas bovinas são maiores e mais rígidas que as costelas de veado, o que as torna mais adequadas para o trabalho duro de esfregar as peles sem se desgastar ou quebrar.

“Os neandertais sabiam que, para uma tarefa específica, precisavam de uma ferramenta muito particular. Eles descobriram o que funcionava melhor e procuravam isso quando estava disponível”, disse Martisius.