Nova espécie de ancestrais humanos é anunciada

Homo bodoensis viveu na África cerca de 500 mil anos atrás e foi o ancestral direto dos humanos modernos

O Homo bodoensis, nova espécie de ancestral humano, viveu na África durante o Pleistoceno Médio. Crédito: Ettore Mazza

Uma equipe internacional de pesquisadores liderada pela drª Mirjana Roksandic, paleoantropologista da Universidade de Winnipeg (Canadá), anunciou o nome de uma nova espécie de ancestral humano, o Homo bodoensis. Essa espécie viveu na África durante o Pleistoceno Médio, cerca de meio milhão de anos atrás, e foi o ancestral direto dos humanos modernos. O estudo foi publicado na revista Evolutionary Anthropology Issues News and Reviews.

O Pleistoceno Médio (agora renomeado como Chibaniano e datado de 774.000-129.000 anos atrás) é importante porque viu o surgimento de nossa própria espécie (Homo sapiens) na África, nossos parentes mais próximos e os neandertais (Homo neanderthalensis) na Europa.

No entanto, a evolução humana durante essa época é mal compreendida, um problema que os paleoantropólogos chamam de “a confusão no meio” (the muddle in the middle). O anúncio do Homo bodoensis espera esclarecer esse intrigante, mas importante capítulo da evolução humana.

Concepção artística do Homo bodoensis. Crédito: Ettore Mazza
Nome redundante

O novo nome é baseado em uma reavaliação dos fósseis existentes da África e da Eurásia desse período. Tradicionalmente, esses fósseis têm sido atribuídos de forma variável ao Homo heidelbergensis ou ao Homo rhodesiensis, ambos com definições múltiplas e frequentemente contraditórias.

“Falar sobre a evolução humana durante esse período de tempo tornou-se impossível devido à falta de terminologia adequada que reconheça a variação geográfica humana”, de acordo com Roksandic, principal autora do estudo.

Recentemente, evidências de DNA mostraram que alguns fósseis na Europa chamados H. heidelbergensis eram na verdade os primeiros neandertais, tornando o nome redundante. Pela mesma razão, o nome precisa ser abandonado ao descrever humanos fósseis do leste da Ásia, de acordo com a coautora Xiu-Jie Wu (Instituto de Paleontologia e Paleoantropologia de Vertebrados, Pequim, China).

Para confundir ainda mais a narrativa, os fósseis africanos datados desse período foram chamados às vezes de H. heidelbergensis e H. rhodesiensis. H. rhodesiensis é mal definido e o nome nunca foi amplamente aceito. Isso se deve em parte à sua associação com Cecil Rhodes e aos horrendos crimes cometidos durante o domínio colonial na África – uma homenagem inaceitável à luz do importante trabalho que está sendo feito para descolonizar a ciência.

Reclassificação

O nome “bodoensis” deriva de um crânio encontrado em Bodo D’ar, na Etiópia. A nova espécie é considerada um ancestral humano direto. Sob a nova classificação, H. bodoensis irá descrever a maioria dos humanos do Pleistoceno Médio da África e alguns do sudeste da Europa. Enquanto isso, muitos da Europa serão reclassificados como neandertais.

O coprimeiro autor Predrag Radović (Faculdade de Filosofia da Universidade de Belgrado, Sérvia) disse: “Os termos precisam ser claros na ciência, para facilitar a comunicação. Eles não devem ser tratados como absolutos quando contradizem o registro fóssil”.

A introdução do H. bodoensis visa “cortar o nó górdio e nos permitir comunicar claramente sobre esse importante período da evolução humana”, afirmou um dos coautores, Christopher Bae (Departamento de Antropologia, Universidade do Havaí em Manoa, EUA)

Roksandic concordou: “Nomear uma nova espécie é um grande negócio, já que a Comissão Internacional de Nomenclatura Zoológica permite mudanças de nome apenas sob regras muito estritamente definidas. Estamos confiantes de que este permanecerá por um longo tempo, um novo nome de táxon viverá somente se outros pesquisadores o usarem”.

Saiba mais
+ Carolina Dieckmann pede R$ 9 milhões por mansão no Rio
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua