• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Featured19/01/2022

O Kuwait caminha para se tornar inabitável

Cidade do Kuwait: calor cada vez mais opressivo. Crédito: Son_patty/Pixabay

19/01/22 - 10h49min

O pequeno Kuwait é um dos lugares mais quentes do mundo e a vida por lá está tornando inviável. Em 2016, os termômetros marcaram 54°C e, no ano passado, eles passaram a marca dos 50°C semanas antes do pico de calor.

Uma matéria da Bloomberg trouxe a palavra de Tamara Qabazard, veterinária do zoológico de lá: “É por isso que estamos vendo cada vez menos vida selvagem no Kuwait. É porque a maioria dos animais não está conseguindo sobreviver às estações do ano.”

A matéria cita, sem ironias, que o país é o 4º maior exportador mundial de petróleo e proteger a população e a vida selvagem é pura falta de vontade política e não de recursos.

Mais calor, menos chuvas

Já no Iraque, as temperaturas estão subindo duas vezes mais rapidamente do que na média global. No grande pântano mesopotâmico, berço da civilização humana, a precipitação média anual neste século é 10% menor do que no período 1970-2000. Além de a quantidade de água ser cada vez menor, ela é cada vez mais salobra, impactando pessoas e a criação doméstica. A situação é agravada pela vizinha Turquia que, construindo grandes hidrelétricas na cabeceira dos rios, reduz ainda mais a vazão para os grandes Tigre e Eufrates. A matéria é da News Hour da PBS.

A maioria dos extremos de temperatura registrados, como era de se esperar, ficam na ponta quente e, segundo um trabalho citado na Bloomberg, apenas 10% estão na extremidade fria. A matéria tem uma animação do globo terrestre girando com marcações de onde foram registrados recordes de temperatura no ano passado.

Inside Climate News também comentou esses recordes cravando que eles seguirão sendo quebrados caso não se consiga reduzir a concentração de gases de efeito estufa na atmosfera. Por hora, elas não param de aumentar.

Os recordes negativos de temperatura também são fruto da bagunça que o aquecimento global provoca nos jet streams (correntes de jato), ventos de altitude que ondulam paralelamente ao equador, do oeste para leste.

Megatempestade nos EUA

Nos EUA, uma megatempestade ganhou o nome de Izzy e vem despejando enorme quantidade de neve desde o Centro-Oeste até os estados na costa do Atlântico. Milhares de voos foram cancelados e houve apagões afetando centenas de milhares de pessoas. A nevasca foi matéria do New York TimesAPReuters e BBC. Pouco usual para a época, mas fruto da mesma tempestade, um grande tornado com ventos de 190 km/h atravessou o sudoeste da tropical Flórida, conta a AP.

Carbon Brief fez uma matéria interessante a partir de vários bancos de dados para analisar os recordes de temperatura e os eventos extremos do ano passado.

Saiba mais
+ Carolina Dieckmann pede R$ 9 milhões por mansão no Rio
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua

aquecimento global