O século do calor

O século XXI vai ser mais quente. Os gases de efeito estufa acumulados na atmosfera formam um manto que abafa a Terra. Em consequência, afirmam os cientistas, vem aí um rosário de provações.

O período de 30 anos mais quente do Hemisfério Norte dos últimos 1.400 anos aconteceu entre 1983 e 2013, afi rma o 5º. Relatório do Painel Internacional de Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), o órgão da ONU encarregado de investigar cientifi – camente as mudanças climáticas.

O IPCC afi rma que o aquecimento da Terra é inequívoco: a atmosfera esquentou, a neve e o gelo diminuíram, os oceanos estão mais ácidos, o nível do mar subiu e os gases do efeito estufa se adensaram. 

O relatório tenta evitar cenários apocalípticos, mas não há dúvida de que a civilização de 7 bilhões de pessoas a caminho de 9 bilhões envia para a atmosfera toneladas de gás carbono “antropogênico”  
(gerado pelo engenho humano), decorrente principalmente da queima de combustíveis fósseis e das emissões originadas por mudanças no uso da terra (como o desmatamento). 

A menos que se descubra uma tecnologia capaz de neutralizar os gases-estufa, haverá impactos climáticos por séculos à frente. O desafi o climático é inédito, pois requer ações custosas e coordenadas
entre vários países, para lidar com uma ameaça distante, em nome das gerações futuras, sob um manto de perturbadoras incertezas sobre o custo de não agir. Veja os destaques do 5º. Relatório. 

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança

COMPARTILHAR