OVNIs são pilotados por humanos do futuro, defende autor

Em vez de alienígenas que transitam pelo espaço, as visitas de OVNIs (objetos voadores não identificados) seriam obra de humanos do futuro viajando pelo tempo. Essa é a ideia defendida por Michael Masters no livro Identified Flying Objects: A Multidisciplinary Scientific Approach to the UFO Phenomenon” (Objetos Voadores Identificados: uma Abordagem Científica Multidisciplinar para o Fenômeno OVNI”, em tradução livre).

Professor de antropologia biológica especializado em anatomia evolutiva humana, arqueologia e biomedicina, Masters explora como a persistência de tendências biológicas e culturais de longo prazo na evolução humana pode, em última análise, resultar em nos tornarmos os pilotos dessas espaçonaves.

Além disso, nos casos registrados de aparições, esses visitantes são descritos como seres bípedes, de cérebro grande, sem pelos e semelhantes a humanos, que se comunicam conosco em nossas próprias línguas e que possuem tecnologia avançada, mas construída sobre a nossa.

Esses relatos, juntamente com uma compreensão completa do passado e da condição humana moderna, apontam para a continuação de tendências biológicas e culturais estabelecidas aqui na Terra.

O livro defende ainda a ideia de que esses visitantes seriam cientistas em busca de informações sobre a evolução da nossa espécie. Assim, a tripulação dessas naves seria composta por arqueólogos, biólogos, linguistas e historiadores.

Assim, na sua próxima visita a São Tomé das Letras, não tenha medo caso depare com um suposto extraterrestre. Ele pode ser seu descendente.

Para afastar qualquer traço de insanidade na tese defendida pelo autor, ele apresenta suas credenciais. Masters é professor da Universidade de Montana e possui Ph.D. em antropologia pela Universidade Ohio State, onde se especializou em anatomia evolutiva do hominídeo, arqueologia e biomedicina.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança