Pantanal: PF tem provas para indiciar fazendeiros por queimadas

Evidências científicas coletadas até o momento indicam que a expansão da atividade agropecuária na região é a causa mais provável dos incêndios, afirma o Ministério Público Federal

O Pantanal em chamas, em foto do fim de agosto do satélite Terra, da Nasa: provas se acumulam contra fazendeiros. Crédito: Crédito: Nasa Earth Observatory/Lauren Dauphin com dados de EOSDIS/LANCE e GIBS/Worldview/Landsat/U.S. Geological Survey.

A Polícia Federal já reuniu elementos que comprovariam a responsabilidade de um grupo de fazendeiros por queimadas que devastaram mais de 25 mil hectares do Pantanal na região de Corumbá (MS). A partir de imagens de satélite, os investigadores identificaram quatro propriedades localizadas na região oeste do rio Paraguai que registraram focos simultâneos de incêndio no dia 30 de junho. De acordo com os policiais, o objetivo da ação era limpar o terreno para expandir pastagens. Em entrevista à CNN Brasil, o delegado Daniel Rocha explicou que, pelas características da região e as condições meteorológicas do momento em que o fogo se acendeu, não há como essas queimadas terem sido naturais.

Para o Ministério Público Federal (MPF), os incêndios no Pantanal também não podem ter sido causados majoritariamente por condições naturais. “As evidências científicas coletadas até o momento apontam para a expansão da atividade agropecuária como a causa mais provável [dos incêndios]”, disse o MPF em nota citada pelo “Valor Econômico”.

No UOL, Chico Alves disse que as descobertas da PF desmentem a “lenda” promovida por Bolsonaro de que os indígenas e os caboclos seriam os responsáveis pelas queimadas: “O presidente já sabia que as investigações no Pantanal apontavam para uma ação criminosa de fazendeiros, mas continua defendendo sua versão autoral da realidade”.

LEIA TAMBÉM: Fumaça de incêndios do Pantanal e da Amazônia pode chegar à África

Só chuva resolve

Enquanto isso, no Mato Grosso, o chefe do comitê de gestão do fogo do Corpo de Bombeiros, coronel da reserva Paulo André da Silva Barroso, entregou os pontos: com mais de 18 mil focos de incêndio espalhados por 105 dos 111 municípios do estado, as queimadas serão controladas apenas com a chegada de chuvas substanciais ao Pantanal. “É São Pedro que vai apagar esse fogo”, disse a “O Globo”. Já a “Folha de S. Paulo” mostrou a situação do sistema de saúde nos estados do Centro-Oeste, afetados duplamente neste inverno pela pandemia de covid-19 e pela escalada das queimadas.

CBN, G1, Poder360, TV Cultura e UOL repercutiram o avanço das investigações da PF no Pantanal.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança