Papa convida empresários do petróleo para “transição energética radical”

"A civilização requer energia, mas o uso de energia não deve destruir a civilização", foram as palavras do pontífice

Shutterstock
Papa Francisco: “Se a tendência atual continuar, este século poderá testemunhar mudanças climáticas inéditas e uma destruição sem precedentes dos ecossistemas, com graves consequências para todos nós” (2015)

Uma vez mais, o Papa Francisco enfatiza a necessidade de cuidados com o planeta, que chamou de “nosso lar comum”. Na sexta passada, o Vaticano, em Roma, recebeu os executivos do petróleo e gerentes de fundos que investem em seus estoques para uma audiência a portas fechadas com o pontífice.

A reunião se concentrou em uma “transição energética radical” e justa para um mundo de baixo carbono; regime de precificação de carbono; e transparência nas informações relacionadas a risco climático.

Durante a audiência, ele disse a vários executivos do setor presentes – como da ExxonMobil, BP e Chevron – que eles precisam encontrar uma solução energética que não sacrifique o meio ambiente. “A civilização requer energia, mas o uso de energia não deve destruir a civilização”, foram suas palavras conforme citado pela BBC.

O papa falou ainda em “emergência climática”, alertando: “Precisamos agir para evitar um ato brutal de injustiça contra os pobres e as futuras gerações. (…) As futuras gerações herdarão um mundo grandemente mimado. Nossos filhos e netos não devem pagar o custo da irresponsabilidade de nossa geração. De fato, como está ficando cada vez mais claro, os jovens estão pedindo mudanças.”

Esta não é a primeira vez que o Papa Francisco se encontra com executivos do setor para discutir a ameaça da mudança climática. Cerca de um ano atrás, pediu a eles “uma redução no uso sistemático de combustíveis fósseis”.