Pentágono lança três vídeos de OVNIs feitos por pilotos da Marinha

Vazados anteriormente, os vídeos foram desclassificados pelas autoridades americanas para “esclarecer quaisquer equívocos” sobre se eram reais

Cena do vídeo "Gimbal": OVNI perceptível na imagem granulada. Crédito: Departamento de Defesa/Marinha dos EUA

Três vídeos de interações militares no ar com OVNIs, divulgados anteriormente sem permissão oficial, foram desclassificados e compartilhados online ontem (27 de abril) pela Marinha dos EUA, de acordo com o site Live Science e o jornal “The Guardian”. Os vídeos granulados, que, segundo o Pentágono, descrevem “fenômenos aéreos inexplicáveis”, exibem, para alguns, objetos voadores não identificados (OVNIs, ou UFOs, na sigla em inglês) alienígenas em plena ação.

Os três clipes – “Flir”, “Gofast” e “Gimbal” – estão disponíveis para ser baixados no site do Naval Air Systems Command, sob a Lei de Liberdade de Informação.

As imagens, capturadas por pilotos da Marinha dos EUA anos atrás, mostram aeronaves misteriosas e sem asas, viajando em velocidades hipersônicas, sem meios visíveis de propulsão. Sua divulgação foi liberada, segundo o Pentágono, “para esclarecer quaisquer equívocos por parte do público sobre se ou não a metragem que tem circulado era real ou se há ou não mais nos vídeos”, de acordo com uma declaração sobre o tema postada no site do Departamento de Defesa.

LEIA TAMBÉM: OVNIs são pilotados por humanos do futuro, defende autor

A divulgação ocorreu sete meses depois de Joseph Gradisher, porta-voz do vice-chefe de Operações Navais para Guerra de Informação, ter dito que as imagens não haviam sido liberadas para divulgação oficial. “Após uma análise minuciosa, o departamento determinou que a liberação autorizada desses vídeos não classificados não revela nenhuma capacidade ou sistema sensível e não afeta investigações subsequentes de incursões no espaço aéreo militar por fenômenos aéreos não identificados”, anuncia o comunicado.

Fenômenos não identificados

Os vídeos estavam “circulando em domínio público após lançamentos não autorizados em 2007 e 2017”, segundo a declaração. O texto acrescenta que “os fenômenos aéreos observados nos vídeos permanecem caracterizados como ‘não identificados’”.

Os três vídeos mostram o que os pilotos viram durante voos de treinamento entre novembro de 2004 e janeiro de 2015. Dois dos vídeos foram publicados pelo jornal “The New York Times” em 2017. O outro vídeo foi divulgado pelo grupo To the Stars Academy of Arts and Science, uma organização científica e de mídia privada.

O vídeo de 2004 mostra um incidente ocorrido a 160 quilômetros da costa do Pacífico, segundo o “The New York Times”. Dois pilotos de caça da Marinha encontraram um objeto oblongo pairando acima da água. Em seguida, ele voou rapidamente para longe. “Acelerou como nada que eu já vi”, disse um dos pilotos, comandante David Fravor, ao “NYT”.

Os vídeos de 2015 mostram objetos se movendo rapidamente pelo céu. Um deles parece girar no ar. “Olhe para essa coisa, cara!”, exclama um piloto. “Está girando!”

Diferentemente dos caças, os misteriosos veículos aéreos não tinham “asa distinta, cauda distinta, nenhuma pluma de escape distinta”, disse o piloto da Marinha tenente Danny Accoin na série documental do History Channel Unidentified: Inside America’s UFO Investigation, de 2019.

O “The Guardian” lembra que o lançamento dos vídeos pelo Pentágono aumenta a legitimidade dos vídeos e estimulará mais especulações de que humanos tenham interagido recentemente com outros terrestres. A Marinha americana tem diretrizes para relatar avistamentos de OVNIs.